Diferença nos preços de voos entre Paraíba e estados vizinhos ultrapassa R$ 1.300 e internautas reclamam: “é muito mais em conta pegar por Recife”

A opção pelo embarque ou desembarque nos aeroportos da Paraíba está mais cara. Essa foi a denuncia feita por dezenas de internautas ao ClickPB, na tarde desta sexta-feira (23). “É mais barato comprar direto de Recife, saída ou chegada, já que na Paraíba está muito mais caro”, diz um dos comentários feito no perfil da rede social do Portal no Instagram. Atualmente, o aeroporto Castro Pinto, em João Pessoa tem oito voos e o de Campina Grande apenas quatro.

Viajar em avião não está só mais caro, está mais complicado por conta da demora, uma vez que os voos foram reduzidos em mais da metade por conta da pandemia da covid-19, ou seja está mais demorado e mais caro. A discrepância nos preços das passagens entre João Pessoa e Recife pode chegar a mais de R$ 1300.

Em entrevista ao ClickPB, a presidente da PBTur, Ruth Avelino, explicou que além de mais caro, o preço elevado nas passagens se deve por conta da questão de mercado. “Temos poucos voos por conta da pandemia e isso influencia no preço das passagens”, explicou.

De acordo com ela, o governo da Paraíba já está tentando viabilizar o aumento de voos com as companhias aéreas. “Esse é um dos motivos que estamos negociando o aumento no número de voos, pois sabemos que com a pouca oferta, os valores estão mais salgados”, disse, destacando que no próximo dia 4 de outubro haverá uma reunião com os representantes de todas as companhias Gol, Latam e Azul e o secretário de Turismo Gustavo Feliciano para resolver essa situação.

Confira a pesquisa feito pelo ClickPB que identificou a diferença de preço nos aeroportos de João Pessoa e Recife:

Assine nosso boletim de notícias

Receba gratuitamente em seu email todas as notícias que acontecem no vale do Piancó, na Paraíba e no mundo, assine já, é grátis, digite seu melhor e-mail no compo abaixo e click no botão Assinar.

Falta pouco

Confirme sua assinatura gratuita seguindos o passo a passo abaixo:

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *