Benefícios de vacina da AstraZeneca superam riscos, diz OMS

Uma comissão de análise de segurança de vacinas da Organização Mundial da Saúde (OMS) disse nesta quarta-feira que os benefícios da vacina contra covid-19 da AstraZeneca superam os riscos e recomenda que a imunização continue.

A OMS listou o imunizante da AstraZeneca e da Universidade de Oxford para uso emergencial no mês passado, ampliando o acesso à vacina, relativamente barata no mundo em desenvolvimento.

Mais de uma dúzia de países europeus suspenderam o uso da vacina nesta semana devido a preocupações sobre sua segurança.

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) informou que está investigando relatos de 30 casos de problemas sanguíneos incomuns entre 5 milhões de pessoas que receberam a vacina da AstraZeneca. No total, 45 milhões de vacinas contra covid-19 já foram distribuídas na região.

A EMA divulgará suas conclusões nesta quinta-feira (18), mas a diretora da agência, Emer Cooke, disse não ver motivo para mudar sua recomendação sobre a AstraZeneca – uma das quatro vacinas que aprovou.

O Comitê Global de Aconselhamento sobre Segurança de Vacinas da OMS está analisando cuidadosamente os dados de segurança disponíveis mais recentes da vacina da AstraZeneca. “Assim que a análise estiver concluída, a OMS comunicará as conclusões ao público imediatamente”, disse a entidade, em comunicado um dia após seus especialistas realizarem uma reunião a portas fechadas.

“A essa altura, a OMS considera que os benefícios da vacina da AstraZeneca superam seus riscos e recomenda que as vacinações continuem”, acrescentou.

A diretora do Departamento de Imunização, Vacinas e Produtos Biológicos da OMS, Kate O’Brien, informou que o comitê de segurança de vacinas está analisando se efeitos adversos, como coágulos sanguíneos, de fato têm relação com a vacinação.

“Não deveríamos interpretar exageradamente estes números específicos que saem dos testes. Elas são vacinas altamente eficazes, são vacinas que salvam vidas, são vacinas seguras e deveríamos continuar a distribui-las”, disse O’Brien, em entrevista coletiva.

“Então, qualquer um a quem se ofereça uma vacina deveria receber o que quer se se esteja oferecendo pelo programa para que as vacinas que estão sendo oferecidas sejam usadas para seu benefício máximo”, concluiu.

 

Agência Brasil

Assine nosso boletim de notícias

Receba gratuitamente em seu email todas as notícias que acontecem no vale do Piancó, na Paraíba e no mundo, assine já, é grátis, digite seu melhor e-mail no compo abaixo e click no botão Assinar.

Falta pouco

Confirme sua assinatura gratuita seguindos o passo a passo abaixo:

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *