Cardiologista revela sequelas no coração de pacientes paraibanos curados da Covid-19

 

Sequelas cardíacas aparecem tardiamente em paraibanos que se curaram da Covid-19. Essa foi a revelação que o médico cardiologista Valério Vasconcelos fez ao programa Arapuan Verdade, da Arapuan FM, nesta terça-feira (20), conforme apurou o ClickPB.

Dr° Valério destacou que, entre as sequelas da Covid-19, tem percebido situações diversas que podem levar a problemas cardiológicos. “Tinham, no começo da pandemia, pessoas cardiopatas que manifestavam a doença da forma mais grave, levando inclusive ao óbito. Hoje, identificamos que pessoas mesmo assintomáticas podem ter sequelas”, ressaltou.

O cardiologista ainda destaca que essas sequelas podem aparecer meses depois, quando aparecem pacientes com dor no peito e palpitações e, através de um ecocardiograma, identifica-se o problema, como a cardiomegalia, conhecida como coração crescido.

“Temos vistos alguns atletas sem condicionamento de atletas que foram infectados. A falta de ar pode acontecer com todos e há relatos de atletas que, após a cura da Covid, morreram subitamente após voltar à rotina de atleta”, revelou o cardiologista.

Para o médico, os paraibanos necessitam ter equilíbrio para cuidar do coração. O ritmo de vida contemporânea sufocante, a rotina estressante e o consumo de alimentos ricos em gordura, açúcar e sal, além do sedentarismo, contribuem para o aparecimento de problemas no coração.

“É preciso gerenciar o stress, realizar atividade física e se alimentar de forma equilibrada, além de consultar um cardiologista. O procedimento é fazer uma avaliação e exames. As pessoas ganharam muito peso nessa pandemia e precisam mudar essa rotina. O retorno para a atividade física tem que ser feito de forma lenta e gradual”, destacou o médico.

 

 

Click PB

Assine nosso boletim de notícias

Receba gratuitamente em seu email todas as notícias que acontecem no vale do Piancó, na Paraíba e no mundo, assine já, é grátis, digite seu melhor e-mail no compo abaixo e click no botão Assinar.

Falta pouco

Confirme sua assinatura gratuita seguindos o passo a passo abaixo:

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *