China alerta para pneumonia ‘mais mortal que o COVID-19’

A Embaixada chinesa no Cazaquistão emitiu um aviso aos cidadãos chineses no país sobre um surto de “pneumonia desconhecida”. De acordo com o memorando, a doença provavelmente será mais mortal do que o novo coronavírus.

O comunicado da embaixada chinesa disse que a pneumonia matou 1.700 pessoas no Cazaquistão, incluindo cidadãos chineses. Novos casos da doença aumentarão a partir de meados de junho. Centenas de novos casos serão registrados todos os dias.

O Ministério da Saúde do Cazaquistão emitiu um comunicado reconhecendo “a presença de pneumonia viral com causas não especificadas”, mas negando que a doença era nova ou desconhecida.  Segundo o órgão, a classificação de pneumonia “indefinida” seguiu as diretrizes da OMS “para registrar pneumonia quando a infecção por coronavírus é diagnosticada clinicamente ou epidemiológica, mas não é confirmada por meio de exames laboratoriais”. “Desta forma, o Cazaquistão monitora essas taxas de pneumonia para tomar decisões para estabilizar a ocorrência de Covid-19”, disse Cui Alexey, ministro da Saúde.

O país enfrenta um aumento nos casos de COVID-19, que infectou 53.021 pessoas e matou 264 pessoas no país, segundo dados da Universidade Johns Hopkins. O número de casos de pneumonia em Nur-Sultan, capital do Cazaquistão, mais do que dobrou em junho deste ano em comparação com o mesmo período do ano passado, de acordo com a agência de notícias Kazenform.

 

Rede Brasil News

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.