China critica modelo de sanções aplicadas contra Rússia e afirma que elas não resolverão crise

Neste sábado (26) a China se pronunciou sobre as sanções econômicas anunciadas pelas potencias ocidentais à Rússia. De acordo com o governo de Pequim a atual crise entre Rússia e Ucrânia não será resolvida por meio das sanções. O ministro das Relações Exteriores Wang Yi fez seus comentários durante um telefonema com sua contraparte alemã, Annalena Baerbock.

De acordo com o Ministério das Relações Exteriores da China, Wang disse que “a China não apóia o uso de sanções para resolver problemas e, mais ainda, se opõe a sanções unilaterais que não têm base no direito internacional”.

“Está provado há muito tempo que as sanções não apenas não resolvem problemas [existentes], mas criam novos, resultando em efeitos ‘perde-perde’ na economia e interferindo no processo de solução política”, acrescentou.

O ministro disse que a China se opõe tanto ao uso da força quanto às sanções contra a Ucrânia. Ele argumentou que as “legítimas demandas de segurança” da Rússia sobre a expansão da OTAN para o leste “devem ser abordadas adequadamente”. Moscou disse que busca garantias juridicamente vinculativas de que a Otan nunca aceitará a Ucrânia como Estado-membro e retirará suas tropas da Europa Oriental – exigências que o bloco liderado pelos EUA rejeita.

 

 

247

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.