Laudo aponta que houve crime sexual contra estudante de Medicina morta em apartamento em João Pessoa

O laudo cadavérico da estudante de Medicina, Mariana Thomaz, apontou que houve crime sexual contra ela, de acordo com lesões encontradas no corpo, conforme relatado pelo delegado Joames Oliveira ao Arapuan Verdade, nesta segunda-feira (14). A jovem foi estrangulada dentro do apartamento do namorado, que é o suspeito do assassinato ocorrido no bairro do Cabo Branco, em João Pessoa, no último sábado (12). Johannes Dudeck acionou ajuda dizendo que a namorada tinha passado mal.

“O laudo cadavérico indica lesões de natureza sexual. A causa morte foi asfixia por esganadura”, informou o delegado Joames Oliveira ao Arapuan Verdade, conforme apurou o ClickPB.

Ainda segundo o delegado, Mariana e Johannes Dudeck estariam namorando há “menos de um mês”.

O delegado aguarda o laudo pericial do apartamento e outros materiais para aprofundar a investigação. Johannes Dudeck é o suspeito de matar a namorada, pois foi encontrada o sinal de estrangulamento na jovem e o histórico de indiciamentos na Lei Maria da Penha, contra ele, firmam ainda mais as suspeitas contra o empresário.

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.