Mamonas, Gabriel Diniz, Boechat, Teori Zavascki e Eduardo Campos: relembre acidentes com aeronaves com famosos e que repercutiram no Brasil

A cantora Marília Mendonça, que estava em uma aeronave de pequeno porte que caiu em uma cachoeira em Minas Gerais nesta sexta-feira (5), não é a primeira famosa a se envolver em um acidente aéreo com aeronaves particulares no Brasil nos últimos anos.

A banda Mamonas Assassinas, o cantor Gabriel Diniz, o apresentador Ricardo Boechat e o ministro do Supremo Tribunal Federal Teori Zavascki são alguns dos que morreram vítimas de tragédias aéreas.

Mamonas Assassinas

Em 1996, nove integrantes da banda Mamonas Assassinas morreram após a colisão da aeronave contra a mata na Serra da Cantareira, à noite. Os músicos estavam em um jato executivo Learjet que avançou por sobre as árvores, atravessou a cortina de névoa fria e colidiu na mata.

Gabriel Diniz

O cantor Gabriel Diniz, conhecido pelo hit “Jenifer”, morreu aos 28 anos em 2019 na queda de um avião de pequeno porte no povoado Porto do Mato, em Estância, na região sul de Sergipe. A Força Aérea Brasileira (FAB) conclui que condições meteorológicas e erro do piloto levaram à queda de avião.

Ricardo Boechat

O jornalista, apresentador e radialista Ricardo Eugênio Boechat morreu em 2019, aos 66 anos, em São Paulo. Ele estava em um helicóptero que caiu na Rodovia Anhanguera e bateu na parte dianteira de um caminhão que transitava pela via. O piloto Ronaldo Quattrucci também morreu no acidente.

Teori Zavascki

Relator da operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Teori Zavascki morreu aos 68 anos após queda de avião em Paraty, no litoral do Rio de Janeiro, em 2017. O magistrado tinha três filhos e estava na Suprema Corte desde 2012.

Ele estava a bordo de um Hawker Beechcraft King Air C90, que decolou do Campo de Marte, na capital paulista. O avião era de pequeno porte e tinha capacidade para oito pessoas.

Eduardo Campos

O candidato à presidência da República Eduardo Campos (PSB) morreu em 2014 após a queda do avião sobre uma área residencial em Santos, no litoral paulista.

Além de Campos, estavam na aeronave mais seis pessoas. O presidenciável faria campanha política na cidade e tinha decolado, em aeronave privada, de Santos Dumont, no Rio de Janeiro, com destino ao aeroporto de Guarujá, também no litoral.

Angélica e Huck sobreviveram em pouso forçado

Em 2015, um avião de pequeno porte com Luciano Huck e Angélica fez um pouso forçado em 2015 em Mato Grosso do Sul. A aeronave também levava os filhos do casal, babás e tripulação.

A investigação criminal sobre o pouso forçado do avião com o casal apontou que uma peça importante do avião, o capacitor, foi instalado de forma invertida e fez o “motor morrer no ar”.

Peças do avião que levava Huck e Angélica são levadas para empresa — Foto: Reprodução/ TV Morena

Assine nosso boletim de notícias

Receba gratuitamente em seu email todas as notícias que acontecem no vale do Piancó, na Paraíba e no mundo, assine já, é grátis, digite seu melhor e-mail no compo abaixo e click no botão Assinar.

Falta pouco

Confirme sua assinatura gratuita seguindos o passo a passo abaixo:

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *