Ministério da Educação autoriza novos campi no IFPB em Areia e Pedras de Fogo

O Ministério da Educação (MEC) autorizou nesta terça-feira (29) o funcionamento dos campi Areia e Pedras de Fogo, através da publicação no Diário Oficial da União da Portaria Nº 1.079, de 25/12/2020.

O reitor Nicácio Lopes classificou a notícia como auspiciosa e digna de comemoração, neste final de ano, por toda a sociedade paraibana. “Trata-se de uma conquista histórica da educação profissional e tecnológica na Paraíba”, destacou o gestor ao informar que a luta pela criação desses campi avançados já dura cerca de 10 anos.

A diretora-geral do Campus Avançado de Areia, professora Cláudia Brandão, ao receber a notícia, disse que o ano de 2020 foi difícil. Mas, mesmo diante de todas as dificuldades, a comunidade acadêmica do Campus Areia permaneceu firme no propósito de levar educação de qualidade à comunidade local por meio de aulas remotas, assistência aos estudantes e desenvolvimento de projetos de pesquisa e extensão.

“Hoje recebemos a melhor notícia do ano: IFPB – Campus Areia”, destacou a professora Cláudia ao reconhecer o esforço dos atuais e antigos servidores do Campus, da Reitoria, assim como de todos os alunos, parceiros sociais e dos colaboradores diretos e indiretos na conquista desse feito.

O Campus Areia soma hoje cerca de 2 mil estudantes matriculados nos cursos regulares, nos de Formação Inicial e Continuada (FIC) e nas ofertas do Programa Novos Caminhos. Para atender as demandas locais, a unidade conta com 11 servidores técnico-Administrativos (03) e professores (08), atuando estrategicamente na oferta dos cursos técnicos regulares (Administração e Restaurante e Bar) e mais uma dezena de cursos de formação inicial e continuada, além de curso de livre extensão, projetos de pesquisa e extensão e demandas do programa novos caminhos.

O tom de conquista do status de campus e de reconhecimento ao trabalho dos professores e técnico-administrativos também foi dado pelo diretor-geral do Campus Pedras de Fogo. O professor Frederico Campos disse que a comunidade acadêmica local recebeu a notícia com muita alegria e satisfação.

Ele lembrou que a luta pela autonomia do Campus Pedra de Fogo começou em 2014 com a realização dos primeiros estudos dos arranjos produtivos locais. Daqueles dias até hoje a equipe técnica do campus aprofundou os estudos e vem implantando, paulatinamente, cursos apontados pela sociedade como essenciais para formação de jovens para o mercado de trabalho.

O professor Frederico Campos também reconheceu o apoio irrestrito recebido da Reitoria, em particular do reitor Nicácio Lopes, para implantação do Campus que conta hoje com ofertas nas áreas de informática, gastronomia, moda e saúde. Ao todo, o Campus Pedra de Foco conta com 1.050 alunos e 10 servidores técnico-administrativos (02) e professores, incluindo efetivos (02) e substitutos (06).

O Pró-Reitor de Administração e Finanças do IFPB, professor Pablo Andrey, disse que a conquista é digna de comemoração, pois confere mudança de status e traz autonomia financeira para os campi. “A partir de agora, os campi Areia e Pedras de Fogo sobem um degrau importante para o seu pleno funcionamento, além de constarem na proposta orçamentária para elaboração do orçamento da Rede Federal”, informou o pró-reitor ao esclarecer que, quando chegar o período de aprovação do orçamento 2022, essas unidades já devem fazer parte do PLOA do IFPB.

A pró-reitora de ensino Mary Roberta enalteceu a conquista dos campi Areia e Pedras de Fogo. Ela afirmou que a Portaria nº 1.079/2020 é o coroamento do trabalho das equipes nos respectivos campi. “A notícia é alvissareira e agrega aos campi uma nova identidade”, pontuou a pró-reitora ao frisar que a conquista também evidencia a gestão competente do professor Nicácio na Reitoria, alinhada com os diretores e suas equipes nos campi. “É também o reconhecimento do trabalho do IFPB em nível nacional”, avalia a professora Mary Roberta.

O reitor Nicácio Lopes reconheceu o trabalho sério e competente dos atuais diretores Claudia Brandão (Campus Areia) e Frederico Campos (Campus Pedras de Fogo) e lembrou que outros gestores também contribuíram para esse momento histórico dos dois campi. Ele citou colaborações, no Campus Areia, de Adriano Melo e Ivanilda Gentle. Já no Campus Pedras de Fogo, relembrou o diretor pioneiro Alexandre Urquiza.

“Temos muitos desafios para os próximos anos. Dentre eles garantir a sustentabilidade dos campi e a construção do prédio da Reitoria do Instituto Federal da Paraíba”, finalizou o reitor Nicácio ao sugerir que os tempos difíceis da pandemia estão sendo superados. “Agora é olhar para frente e acreditar que é possível continuar crescendo e vencendo as adversidades”, finalizou o Reitor.

 

 

Click PB

Assine nosso boletim de notícias

Receba gratuitamente em seu email todas as notícias que acontecem no vale do Piancó, na Paraíba e no mundo, assine já, é grátis, digite seu melhor e-mail no compo abaixo e click no botão Assinar.

Falta pouco

Confirme sua assinatura gratuita seguindos o passo a passo abaixo:

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *