Ministro da Econima fala em novo corte de impostos para devolver carga tributária a patamar de 2020

O ministro da Economia, Paulo Guedes, voltou a falar nesta quinta-feira (7) em uma nova redução de impostos em 2022.

Este ano, o governo reduziu as alíquotas do Imposto de Produtos Industrializados (IPI) em 25%, e a zero a alíquota do Imposto de Importação (II) de seis itens da cesta básica que mais contribuíram para a escalada da inflação.

Entre as propostas citadas pelo ministro, estão a promessa de corte de 33% no Imposto de Produtos Industrializados (IPI) e a proposta de uma nova redução em tarifas de importação sobre bens com “preços críticos na economia”, além de máquinas e equipamentos.

Ao baixar o imposto pago pela indústria e tornar as importações mais baratas, o governo pretende contribuir para aliviar a inflação no Brasil.

Segundo Guedes, o objetivo do governo é devolver a carga tributária do Brasil a 31,8% do Produto Interno Bruto (PIB), o patamar de 2020. Em 2021, a estimativa divulgada pelo Tesouro Nacional na última segunda-feira (4) indica que o indicador subiu para 33,9%.

“Quando nós vimos que a arrecadação saiu de 31% do PIB para 33% do PIB, [entendemos que] está na hora de reduzir impostos, porque queremos voltar para os 31%. Então vamos reduzir impostos, daqui até o fim do ano vamos ficar reduzindo impostos”, afirmou em evento virtual de um banco de investimentos.

Indústria e importações

Em fevereiro, o governo editou um decreto com um corte generalizado de 25% nas alíquotas do Imposto de Produtos Industrializados (IPI) vigentes no país como medida de incentivo à indústria nacional. Na semana passada, a redução foi prorrogada por mais um mês. Guedes já chegou a falar que a redução geral seria ampliada para 33%, o que ainda não ocorreu.

Também no mês passado, o governo reduziu a zero a alíquota do Imposto de Importação (II) de seis itens da cesta básica que mais contribuíram para a escalada da inflação. Na mesma ocasião, cortou em 10% a alíquota cobrada sobre máquinas e equipamentos, importados para intensificar a produção de bens no Brasil.

Como uma redução da mesma magnitude já havia sido feita em 2021 na alíquota de bens de capital, o corte total nas tarifas desses produtos chegou a 20%.

Nesta quinta-feira (7), o ministro da Economia voltou a prometer o corte de 33% no IPI como medida para incentivar a indústria e reduzir os custos para a produção de bens no Brasil.

Guedes também defendeu um terceiro corte de 10% no Imposto de Importação que incide sobre máquinas e equipamentos, além de uma desoneração de outros 12 produtos que têm “preços críticos na economia”.

Com o alívio no IPI, Guedes afirmou que a indústria nacional teria mais condições de competir com produtos vindos do exterior, o que permitiria uma nova redução nas tarifas cobradas na compra de bens vindos de outros países.

“Vamos continuar abrindo a economia [para produtos estrangeiros] gradualmente, respeitando acima de tudo o nosso parque industrial. Por isso temos que baixar em 33% o IPI para poder fazer essa rodada adicional de abertura [reduções no Imposto de Importação]”, afirmou.

 

 

Terra

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.