MPF participa de seminário online sobre o enfrentamento do tráfico de pessoas da Paraíba

Nesta terça-feira (3), a partir das 14h30, o Ministério Público Federal (MPF) participará de seminário online promovido pelo Núcleo de Enfrentamento do Tráfico e Desaparecimento de Pessoas da Paraíba (NETDP-PB), vinculado à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Humano (Sedh). O seminário ocorrerá nos dias 3 e 4 de agosto, é público e será transmitido na internet, por meio do canal da Escola Nacional da Defensoria Pública da União, no Youtube. O objetivo do evento é ampliar o alcance do tema para evitar que mais pessoas caiam na rede de tráfico humano. Segundo alerta da ONU, feito em 2013, o tráfico de pessoas movimenta anualmente mais de 30 bilhões de dólares.

O evento é destinado a membros do Judiciário, Ministério Público, profissionais da assistência social, pessoas que lidam direta ou indiretamente com as vítimas de tráfico de pessoas, estudantes e sociedade em geral. Segundo os organizadores, haverá certificado de 4 horas para as pessoas que assistirem às transmissões online durante os dois dias, não sendo necessária inscrição prévia, bastando preencher formulário que será disponibilizado ao público na hora das transmissões.

A participação do MPF ocorrerá por meio de palestra ministrada pelo procurador da República Renan Paes Félix, coordenador do Grupo de Apoio ao Combate à Escravidão Contemporânea, da Câmara Criminal do Mistério Público Federal. Ele abordará a atuação do Ministério Público nos casos de tráfico de pessoas para fins de trabalho em condições análogas à escravidão e ao trabalho escravo contemporâneo. Em seguida, o juiz federal Carlos Haddad, professor da Universidade Federal de Minas Gerais, ministrará palestra sobre o mapeamento das sentenças penais e civis relativas ao trabalho análogo à escravidão, na Justiça Federal e na Justiça do Trabalho. As duas palestras integram a mesa de abertura que será mediada pela advogada Vanessa Lima, coordenadora do NETDP-PB e da Comissão Estadual de Erradicação do Trabalho Escravo da Paraíba.

No segundo dia (4/8), o seminário virtual terá a participação do jornalista e diretor da ONG Repórter Brasil, Leonardo Sakamoto, e da procuradora do Trabalho Cecília Santos, que atua no Tocantins e é vice-coordenadora do Grupo de Trabalho de Comunidades Tradicionais do Ministério Público do Trabalho. Os dois ministrarão a palestra ‘Desigualdade social e exploração econômica: o capitalismo e a opressão racial no tráfico de pessoas para fins de trabalho em condições análogas à escravidão’. A mediadora da mesa será a advogada e diretora executiva do Instituto Trabalho Decente, Patrícia Lima.

O seminário online integra as ações da Semana de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas da Paraíba, que iniciou em 30 de julho – Dia Nacional e Internacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas e vai até o dia 6 de agosto, conforme programação elaborada pelo NETDP-PB com os parceiros da rede de enfrentamento ao tráfico de seres humanos, que compõem o Comitê Estadual de Enfrentamento ao Tráfico e Desaparecimento de Pessoas da Paraíba e a Comissão Estadual de Erradicação do Trabalho Escravo da Paraíba, vinculados à Sedh.

De acordo com estimativa da ONU, revelada no Relatório Global sobre Tráfico de Pessoas, cerca de 50 mil vítimas foram detectadas e denunciadas em 148 países, em 2018. A ONU estima que o número real de vítimas seja muito maior. Migrantes e pessoas sem emprego são os mais vulneráveis e a tendência geral de aumento do crime de tráfico pode piorar em decorrência da pandemia da covid-19, aponta o estudo das Organização das Nações Unidas. O órgão internacional receia que a recessão causada pela pandemia exponha ainda mais pessoas ao risco de tráfico. Segundo o Anuário Brasileiro de Segurança Pública de 2020, em todo o Brasil, 79.275 pessoas desapareceram em 2019. Apenas 39.086 foram localizadas no mesmo ano.

Wscom

Assine nosso boletim de notícias

Receba gratuitamente em seu email todas as notícias que acontecem no vale do Piancó, na Paraíba e no mundo, assine já, é grátis, digite seu melhor e-mail no compo abaixo e click no botão Assinar.

Falta pouco

Confirme sua assinatura gratuita seguindos o passo a passo abaixo:

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *