Mulher que se passava por doméstica para furtar mansões no Rio é presa na PB

Uma empresária do setor de alimentação foi presa por policiais civis do Rio de Janeiro e da Paraíba no restaurante de sua propriedade na cidade de Patos, sertão da Paraíba, na segunda-feira (21). Ela tinha várias identidades falsas e fazia parte de uma quadrilha que roubava casas de luxo no Rio de Janeiro, onde ia trabalhar a pretexto de ser empregada doméstica.

Segundo informações da Polícia Civil do Rio e das investigações realizadas também pela 3ª Superintendência de Polícia Civil da Paraíba (3ª SRPC), através da Delegacia de Patos, o prejuízo causado pela falsa empresária já ultrapassa R$ 1 milhão.

“Apenas no caso investigado pela DRF do Rio em uma residência de luxo do Condomínio Mansões foram subtraídos R$ 400.000,00 (Quatrocentos Mil Reais) em espécie da vítima, fora outros bens de valor como jóias do empresário que contratava os serviços da denunciada como empregada doméstica, calculando-se prejuízos totais às vítimas acima de R$1.000.000,00 (Um Milhão de Reais) até o momento”, informou o delegado Sylvio Rabello, superintendente da 3ª Superintendência Regional de Polícia Civil da Paraíba.

Na residência da denunciada equipes das Polícias Civil da Paraíba e do Rio encontraram valores em espécie, bens de luxo, motocicletas, incluindo uma Harley-Davidson, veículo JEEP Renegade, perfumes importados, joias, eletrodomésticos de última geração, entre outros objetos de valor. Ela também abriu um restaurante “Que delicia – churrascaria e lanchonete” localizado no bairro Monte Castelo, em Patos, para ocultação dos valores subtraídos e dissimulação da origem ilícita.

Durante as investigações, verificou-se que a empresária utilizava documentos falsos para trabalhar nas residências de luxo como empregada doméstica, obtendo informações e ganhando a confiança das vítimas.

Foram identificados os nomes “Rita Nóbrega de Medeiros” e “Mariana Almeida de Morais” utilizados inclusive com documentos falsos para prestar qualificação nas delegacias responsáveis pela investigações dos furtos realizados.

“O mandados foram cumpridos no Rio de Janeiro e no Município de Patos-PB. As ações também subsidiam investigação desmembrada por requisição do MP para apuração da lavagem do dinheiro furtado, sendo possível apreender veículos, documentos de aquisição de imóveis e um restaurante localizado no Município de Patos-PB onde a denunciada e custodiada fugiu após a “temporada de furtos” e estava escondida”, explicou Sylvio Rabello.

As investigações irão prosseguir para apuração da lavagem do dinheiro e recuperação dos ativos para diminuir o prejuízo das vítimas. “A Polícia Civil orienta a checagem de documentos fornecidos por prestadores de serviços domésticos para verificação de sua identidade, eis que a função é de extrema confiança e possibilita o acesso a informações e realização de furtos como os investigados pela especializada”, finalizou.

Assessoria Polícia Civil

Assine nosso boletim de notícias

Receba gratuitamente em seu email todas as notícias que acontecem no vale do Piancó, na Paraíba e no mundo, assine já, é grátis, digite seu melhor e-mail no compo abaixo e click no botão Assinar.

Falta pouco

Confirme sua assinatura gratuita seguindos o passo a passo abaixo:

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *