Nova estratégia de imunização na Paraíba realiza a distribuição de quase 300 mil doses de vacina contra covid-19

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) divulgou, em entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira (16), a nova estratégia de vacinação desta semana em todo estado. Além do secretário estadual de Saúde, Geraldo Medeiros, participaram os secretários municipais de saúde de João Pessoa e Campina Grande. Na ocasião, foram esclarecidos os motivos que levaram a Paraíba a ampliar a vacinação contra covid-19 com a oferta massiva de primeiras doses (D1) à população, utilizando um estoque que estava aguardando para ser aplicado como segunda dose (D2). Das 269.990 doses da vacina Astrazeneca/Fiocruz distribuídas na manhã desta sexta-feira, 189.360 já estavam na rede de frios estadual.

De acordo com Geraldo Medeiros, a decisão pioneira no Brasil foi baseada em um estudo publicado pelo Public Health England – autoridade sanitária inglesa – que constatou a satisfatória efetividade da vacina Astrazeneca/Fiocruz no que diz respeito à proteção de pessoas vacinadas contra quadros moderados e graves que levem à hospitalização pela variante delta da Covid-19, já após aplicação da primeira dose. “No que concerne à vacina Astrazeneca/ Fiocruz, observa-se que, após receber uma dose, os indivíduos adquirem proteção contra hospitalização pela variante delta da Covid-19 de 71% e pela variante alfa de 76%”, explicou.

O secretário destacou ainda que a Paraíba é o segundo estado com menor ocupação de leitos de UTI adulto “Para mantermos esse patamar é necessário esse novo direcionamento, assim evitaremos a gangorra no número de internações e salvaremos muitas vidas”, garantiu. Geraldo Medeiros reforçou que antecipar a aplicação da segunda dose nunca foi uma alternativa para o estado, pois, além de restringir o número de paraibanos com algum nível de proteção, a antecipação pode reduzir em até 20% a reação imune no indivíduo, comprometendo a proteção contra a doença.

Sobre a possibilidade de atrasos na oferta da segunda dose, o secretário estadual de Saúde assegurou que, caso ocorra, será pontual: “Não há motivo de preocupação por quem já recebeu a primeira dose. Essa estratégia será utilizada apenas para um lote que estava em estoque e para outro que chegará até o final do mês de julho. Nesse cenário, um possível atraso de alguns dias na aplicação das segundas doses será momentâneo e não compromete a proteção dos indivíduos”.

Expectativa de doses – A previsão do Ministério da Saúde (MS) é enviar à Paraíba, até final de julho, 400 mil doses apenas da vacina Astrazeneca/Fiocruz e 800 mil doses no total. Em agosto são aguardadas 1,35 milhão de doses e, em setembro, 1,4 milhão. O secretário garantiu que, com este volume, a Paraíba vacinará toda população adulta com a primeira dose até o início de outubro e completará o esquema vacinal desse público até o final de 2021. “Com essa previsão não existe motivo para temer a falta de vacinas, estamos vivendo outro momento da pandemia e o Governo Federal já adquiriu 630 milhões de doses”, comentou.

Até a manhã desta sexta-feira, 1.499.091 paraibanos já receberam a primeira dose da vacina contra covid-19, representando 50,28% da população vacinável do estado. Com a distribuição de hoje, mais 16% devem ser vacinados.

Os secretários municipais de saúde de João Pessoa e Campina Grande, Fábio Rocha e Felipe Reul, respectivamente, reforçaram a importância deste novo momento da vacinação na Paraíba. Para Felipe Reul “Ampliar a população vacinada com uma dose é a única maneira de manter a diminuição na taxa de internação. A Paraíba é pioneira nesse projeto e os efeitos positivos serão observados em breve”, afirmou.

 

Wscom

Assine nosso boletim de notícias

Receba gratuitamente em seu email todas as notícias que acontecem no vale do Piancó, na Paraíba e no mundo, assine já, é grátis, digite seu melhor e-mail no compo abaixo e click no botão Assinar.

Falta pouco

Confirme sua assinatura gratuita seguindos o passo a passo abaixo:

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *