‘O que não tivemos o ano passado todo temos agora: espera por leito de UTI’, diz João

O governador João Azevêdo (Cidadania) afirmou que deve endurecer as medidas de restrição da circulação no novo decreto a ser publicado nesta terça-feira (9). De acordo com João, mesmo com as restrições do toque de recolher, os números continuam altos, principalmente a taxa de ocupação hospitalar. “O que não tivemos no ano passado inteiro começamos a ter agora que é a espera por 12 ou 24 horas por um leito de UTI”, lamentou.

“Em função da continuidade, principalmente da taxa de ocupação hospitalar, em torno de 90% na região metropolitana, 80% em Campina Grande e 90% no Sertão e a velocidade com que os casos estão acontecendo, neste momento se faz necessária a prorrogação de medidas restritivas”, disse.

João afirmou que nesta segunda-feira (8), 30 pacientes ficaram à espera de um leito de UTI para regulação. “Passamos o dia inteiro para isso e estamos monitorando [as vagas] a cada seis horas para que não fique ninguém sem leito. O que não tivemos no ano passado inteiro começamos a ter agora, que é a espera por 12 ou 24 horas por um leito de UTI”, relatou.

O governador afirmou que está analisando os detalhes de como será feito. “Buscamos a proteção da vida e não há uma única forma que não seja por meio de distanciamento social, isolamento, redução da mobilidade urbana e vacina. O decreto se faz necessário”, garantiu.

Avaliação do decreto – o governador destacou que agora que serão sentidos os efeitos do decreto, pois é o ciclo da doença. As avaliações são feitas a cada 15 ou 20 dias. Assim como o resultado das aglomerações só é visto 20 dias depois com o acréscimo no número de casos.

Toque de recolher – Esta medida deve permanecer e o governador informou que há estudos para que o serviço público estadual seja totalmente suspenso, sendo mantidas apenas as atividades essenciais. “A medida visa reduzir a mobilidade, principalmente em João Pessoa, são medidas complementares ao decreto anterior que já previa a restrição de mobilidade”, disse.

Detran – João lembrou que grande parte dos serviços prestados já são online e que a paralisação de alguns órgãos não traz um prejuízo total em função desses serviços.

Comércio e academias – Além do horário diferenciado do comércio, o governador afirmou apenas que haverá mais restrições, mas sem grandes modificações.

consórcio vacinas – toda autorização de compra que foi combinada com o ms poderá ser feita com contrato de compra a partir do firme fornecimento desas doses, esão incorporadas ao PNI não há possbilidade de mum ou estado chegar e adquiri as doses e trazer para oe stado, leva na cabeça das pessoas duvidas e pense que o estado da pb pode ir na china e omprar, o que ficou acertado é que estaodos buscarão fornecedores, agilizar a relação entre fornecedores e compradore e levarão essas doses ao ms para ser incorporado ao pni senão viraria um leilão estados mais ricos tcomprariam ais vacinas, haveria uma guerra em busca de doses, faria os preços cada vez mais altos e não e´a forma. o que estaso de mun autorizados fazer

 

Paraíba.com.br

Assine nosso boletim de notícias

Receba gratuitamente em seu email todas as notícias que acontecem no vale do Piancó, na Paraíba e no mundo, assine já, é grátis, digite seu melhor e-mail no compo abaixo e click no botão Assinar.

Falta pouco

Confirme sua assinatura gratuita seguindos o passo a passo abaixo:

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *