Padrasto de Júlia diz que cometeu crime após “surto”

Francisco Lopes, suspeito de matar a enteada, a adolescente Júlia dos Anjos, de 12 anos, foi conduzido ao Presídio do Róger, em João Pessoa, na tarde desta quarta-feira (13). Após a audiência de custódia na Central de Flagrantes, ele falou com exclusividade ao repórter Rubens Júnior, do Sistema Arapuan de Comunicação, e afirmou que cometeu o crime após um ‘surto psicológico’.

“Isso pra mim foi um surto que eu tive e reconheço que foi um surto. Eu sei que a família dela não vai me perdoar nunca pelo ato que eu fiz”, disse ele ao Sistema Arapuan de Comunicação.

 

Ainda durante a entrevista, o padrasto de Júlia pediu perdão a família. “A única coisa que eu posso fazer é isso, pedir perdão, e pedir a minha irmã que me ajudasse, ela é a única pessoa que eu tenho e preciso que ela me ajudasse. Edileuza, não me abandone porque eu sou o seu único irmão”, disse Francisco Lopes.

Assista:

Corpo encontrado após depoimento

O corpo de Júlia, adolescente de 12 anos que estava desaparecida desde a última quinta-feira (7), foi encontrado na tarde de ontem (12). De acordo com o delegado Rodolfo Santa Cruz, Francisco Lopes, que é namorado da mãe de Júlia, foi preso suspeito pela morte após confessar que matou a menina.

A Polícia Civil encontrou o corpo da adolescente em um reservatório de água do tipo cacimbão, na região da Praia do Sol, no bairro de Gramame, no mesmo local onde o suspeito de ter cometido o crime indicou, próximo a casa da família.

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.