Paraíba teve segunda menor variação do país no custo médio da construção civil, no acumulado de 12 meses

A Paraíba teve a segunda menor variação do país no custo médio do metro quadrado da construção civil, a qual foi de 12,40% no estado, no acumulado de 12 meses. Os dados, de março, são do Índice Nacional da Construção Civil (SINAPI), divulgado nesta sexta-feira (08), pelo IBGE e obtido pelo ClickPB. O percentual ficou abaixo da média brasileira (15,75%) e apenas maior que o estado do Piauí (12,33%). No mês anterior (fevereiro), a Paraíba detinha o menor percentual acumulado (em 12 meses) do país.

Houve aumento, em relação ao mês anterior, de 0,81% no custo médio no estado. O 8º maior indicador entre todas as unidades da federação, embora que menor que a média do brasileira (0,99%). Apesar do aumento percentual significativo, o custo do metro quadrado manteve-se como o 3º mais alto do Nordeste, mesma posição do mês anterior.

Já em março, o custo médio do metro quadrado, na Paraíba, ficou em R$ 1.462,37. Esse valor representa o oitavo menor do Brasil, abaixo da média nacional (R$ 1.549,07), porém maior do que a média regional (R$ 1.453,07). No Nordeste, o valor apresentado no estado é menor apenas que os apurados na Bahia, que em março era de R$ 1.524,04 e do Maranhão (R$ 1.465,64). Percebe-se, que nos últimos 12 meses, existe uma aproximação gradual entre o custo médio do regional e paraibano.

No custo total da construção civil na Paraíba, a maior parte do montante, refere-se aos materiais, com 61,4% de participação (R$ 897,49), enquanto a mão de obra representa 38,6% (R$ 564,88) do total. Esses dois componentes apresentaram alta em relação a fevereiro, com valores, à época, de R$ 888,84 e R$ 561,79, respectivamente.

A participação do componente “material” apresenta um aumento percentual na composição do custo total no estado. Em abril de 2021, esse custo representava 58,2% da participação, ante os 61,4% do mês de março de 2022. Destaca-se também que o componente “mão de obra” tem aumentado sua diferença, quando comparamos a média do Brasil e Paraíba. Em abril de 2021, a diferença desse componente no plano nacional (R$574,31) e estadual (R$ 554,70) era de apenas R$ 19,61. Em março de 2022, a discrepância aumentou para R$ 56,91.

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.