Planetas Vênus e Júpiter podem ser vistos no fim de semana

Os planetas Vênus e Júpiter, considerados os mais brilhantes, vão se encontrar no céu neste fim de semana. Segundo o Observatório Nacional, para ver o encontro basta olhar para o céu antes do amanhecer e na direção do nascer do Sol.

A conjunção ocorrerá tanto na madrugada de sábado  (30), quanto na madrugada de domingo (1º de maio).

De acordo com a tecnologista sênior do Observatório Nacional, Josina Nascimento, a conjunção propriamente dita será às 16h (hora legal de Brasília) do dia 30.

“O que vai diferir é somente a altura dos astros de acordo com a localidade. No Rio de Janeiro, às 4h30 da manhã, eles já estarão a uma altura de 18 graus e vão ficando cada vez mais altos em relação ao horizonte, até que a claridade do dia fará com que não possamos mais vê-los. É impossível não reconhecê-los. São os astros mais brilhantes do céu”, disse Josina.

Segundo o observatório, em 11 de fevereiro de 2021 houve uma conjunção de Vênus com Júpiter, mas os planetas estavam muito próximos do Sol e não foi possível ver. Em 2 de março de 2023 haverá outra conjunção entre os dois planetas, logo após o pôr do Sol, mas a distância será bem maior entre os planetas.

Quem puder utilizar um telescópio conseguirá ver, neste fim de semana, o alinhamento de três planetas: Netuno, Vênus e Júpiter. O observatório vai fazer duas transmissões ao vivo do evento por meio do canal do YouTube do Observatório Nacional.

Eclipse

Em 2022, haverá dois eclipses do Sol, ambos parciais e não visíveis no Brasil. O primeiro será em 30 de abril e terá início às 15h45 (horário de Brasília). O único eclipse da Lua deste ano será de 15 para 16 de maio e será um eclipse total e totalmente visível em todo o Brasil.

Segundo o observatório, apenas em outubro de 2023 haverá eclipse anular do Sol visível no Brasil.

O eclipse parcial do Sol de hoje será visível no extremo sul da América do Sul, partes da Antártica e parte sul dos oceanos Pacífico e Atlântico. Em média, o eclipse total ocorre a cada 18 meses.

Entenda

Um eclipse do Sol ocorre quando a Lua fica entre o Sol e a Terra projetando uma sombra sobre a Terra. A sombra mais escura, onde toda a luz solar é bloqueada, é chamada umbra. Em torno da umbra se define a sombra mais clara, a penumbra, onde a luz solar é parcialmente bloqueada. Se o observador está na estreita faixa da Terra atingida pela umbra, ele vai ver o eclipse como total. Se está na área atingida pela penumbra, verá como parcial.

A observação de eclipses somente pode ser feita com instrumentos especiais usados por astrônomos ou com técnica de projeção. Conforme o observatório, não se deve olhar diretamente para o Sol com o uso de filme de raio-x, óculos escuros ou outro material caseiro por risco de danificar o olho de modo irreversível.

 

Agência Brasil

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.