Presidente da Bielorrússia acusa Ocidente de usar incidente com avião para miná-lo

O presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko, acusou nesta quarta-feira (26), o Ocidente de usar o desvio de um avião da Ryanair, no fim de semana, para travar uma guerra híbrida contra ele, e disse que líderes estrangeiros retrataram falsamente a maneira como lidou com o incidente.

Em seus primeiros comentários depois do que alguns políticos europeus descreveram como um “sequestro com patrocínio estatal” no domingo (23), Lukashenko disse que agiu legalmente e de acordo com todas as normas internacionais. Acrescentou que gente que o quer mal está tentando usar o episódio do avião para miná-lo.

“Como previmos, gente de fora do país e de dentro do país que nos quer mal mudou os métodos de ataque ao Estado”, disse o presidente ao Parlamento. “Eles cruzaram muitas linhas vermelhas e abandonaram o bom senso e a moral humana”.

Empresas aéreas redirecionaram voos para evitar o espaço aéreo da Bielorrúsia nessa terça-feira (25), e aviões bielorrussos podem ser barrados na Europa, agora que cresce a revolta internacional por Minsk ter forçado o pouso de um avião comercial e prendido um jornalista dissidente a bordo.

O controle aéreo bielorrusso orientou o voo da Ryanair, que ia de Atenas a Vilnius, a desviar para Minsk, de acordo com uma transcrição, devido ao que se revelou uma ameaça falsa de bomba. A Bielorrússia também enviou um caça de combate MiG-29 para escoltar o avião de passageiros.

A reação ocidental foi parte de uma “guerra híbrida” contra seu país, disse Lukashenko, acrescentado que reagirá duramente a quaisquer sanções ou provocações.

Agência Brasil

Assine nosso boletim de notícias

Receba gratuitamente em seu email todas as notícias que acontecem no vale do Piancó, na Paraíba e no mundo, assine já, é grátis, digite seu melhor e-mail no compo abaixo e click no botão Assinar.

Falta pouco

Confirme sua assinatura gratuita seguindos o passo a passo abaixo:

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *