Secretário alerta para aumento de casos na região de Campina e apela para o uso de máscaras

O secretário Executivo de Saúde do Estado da Paraíba, Daniel Beltrammi, comentou, nesta segunda-feira (14), a nova classificação dos municípios no Novo Normal na Paraíba. De acordo com Baltrammi, o Agreste do estado, região da Borborema, tem chamado atenção. “Nunca tínhamos visto uma situação tão significativa de piora”, destacou em entrevista a uma emissora de TV da Capital.

O boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) apontou que no domingo (13), Campina Grande foi o município paraibano com maior número de casos novos. O gestor lembrou que foram mais casos do que João Pessoa que tem mais habitantes e pediu que as pessoas não descuidem das medidas de proteção. “Não pode encarar de frente um inimigo tão implacável como a covid-19. Se usar máscara e ficar distante não contrai”, disse.

A respeito dos números de ocupação de leitos divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), o secretário afirmou que “nos últimos três meses foram praticamente 1 mil vidas perdidas a cada 30 dias. Não podemos nos acostumar. Covid-19 pega de surpresa, começa com um resfriado e já temos oito mil famílias que tiveram a dor de experimentar a perda de alguém”, alertou. A taxa de ocupação na Região Metropolitana chega a 73%, em Campina Grande, estão ocupados 73% dos leitos de UTI adulto e no sertão 90%.

Novas doses

O secretário explicou que são esperadas doses da vacina da Janssen, que é dose única, até 16 de junho e acredita que até o fim da semana já será distribuída para os estados. “Pedimos que não deixem de tomar a vacina, nãotem problema que tenha algum efeito por dois ou três dias”, comentou.

Além da Janssen, Beltrammi lembrou que o Brasil discute também a aprovação da Covax, que é parecida com a Coronavac e a vacina do instituto Gamaleya, a Sputnik V. “Ambas estão em processo de aprovação pela Anvisa, para que possamos ter sete vacinas.

Marília Domingues

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.