Secretário aponta sistema de saúde ‘muito pressionado’ na Paraíba e alerta sobre cepa: “Se especializou em infectar”

Daniel Beltrammi, secretário Executivo de Gestão da Rede de Saúde da Paraíba, declarou nesta terça-feira (2) que a Paraíba começou a semana com seu Sistema de Saúde ‘muito pressionado’ pela alta de internações por Covid-19. Já é notório o início do reflexo do carnaval na pandemia, disse.

“A partir dessa semana começamos a sentir os efeitos do carnaval e a nossa preocupação é que começamos a semana muito pressionados, muita demanda, principalmente leitos de enfermaria”, disse.

Segundo último boletim, a ocupação total de leitos de UTI (adulto, pediátrico e obstétrico) em todo o estado é de 72%. Na Grande João Pessoa, a de leitos adultos chega a 87%. Em Campina Grande estão ocupados 64% dos leitos de UTI adulto e no sertão 69% dos leitos de UTI para adultos. De acordo com o Centro Estadual de Regulação Hospitalar, 54 pacientes foram internados nas últimas 24h.

Beltrammi alertou para a Cepa P1, conhecida como variante Amazônica. Ela “se especializou em infectar pessoas”, disse: “Ela se multiplica mais, fica mais disponível no nariz e boca. Se estou infectado, com sintomas ou não, tenho mais vírus… consigo contaminar outras pessoas. O vírus consegue se espalhar mais. Se o vírus chegar em pessoas vulneráveis, vou ter crescimento, como em Manaus e vendo na Paraíba. Estamos vendo adultos, jovens, tendo sintomas”.

Ele alertou que, mesmo com a Cepa, as medidas de distanciamento, uso de máscara e lavar as mãos ainda são eficazes.

“As vacinas de 1ª geração, como Pfizer, Moderna, estão discutindo sua efetividade com as variantes, mas a máscara, lavagem de mãos e distanciamento ainda continuam com máximo nível de proteção”, destacou.

 

 

Wscom

Assine nosso boletim de notícias

Receba gratuitamente em seu email todas as notícias que acontecem no vale do Piancó, na Paraíba e no mundo, assine já, é grátis, digite seu melhor e-mail no compo abaixo e click no botão Assinar.

Falta pouco

Confirme sua assinatura gratuita seguindos o passo a passo abaixo:

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *