Secretário executivo de Saúde afirma que eficácia de 50,38% da CoronaVac é satisfatório e aponta benefícios do imunizante

O secretário executivo de gestão da rede de Unidades de Saúde da Secretaria de Estado da Saúde (SES-PB), Daniel Beltrammi, disse nesta quarta-feira (13) que os resultados e benefícios do imunizante CoronaVac, após o anúncio da eficácia geral de 50,38% da vacina contra Covid-19 desenvolvida pelo Instituto Butantan, em parceria com o laboratório Sinovac, é satisfatório.

Segundo Beltrami, o vírus encontrado no imunizante é um RNA, que tem grande capacidade de sobrevivência e adaptação devido à sua mutação.  “A Coronavac é uma vacina de vírus inativado. Logo, expõe as pessoas que vão recebê-la a todo o material viral. Além disso, o coronavírus é um RNA vírus, que são vírus com grande capacidade de sobrevivência e adaptação, porque mutam”, disse.

“Ao longo de todo o mundo e em especial no Brasil, foram os profissionais de saúde da linha de frente, aqueles que foram expostos a vacina, logo pessoas que tem contato com altas cargas virais, e mesmo assim, a vacina apresentou uma proteção”, afirmou.

Daniel apontou ainda que os dados apresentados sobre a vacina mostram que os pacientes que tiveram a doença, mesmo estando vacinados, apresentaram apenas sintomas leves e não precisaram de internação. Nenhum caso grave ou morte foi registrada.

“Essa é uma boa notícia. Uma ferramenta que bloqueia 50% das possibilidades de danos às pessoas é uma notícia importante para um cenário de guerra que nós estamos vivendo”, destacou.

“Historicamente, o papel das vacinas sempre foi o de evitar que as pessoas fiquem gravemente doentes. Fazer com que a Covid se converta em uma gripe comum é o papel da vacina”, afirmou o secretário Executivo.

 

 

Wscom

Assine nosso boletim de notícias

Receba gratuitamente em seu email todas as notícias que acontecem no vale do Piancó, na Paraíba e no mundo, assine já, é grátis, digite seu melhor e-mail no compo abaixo e click no botão Assinar.

Falta pouco

Confirme sua assinatura gratuita seguindos o passo a passo abaixo:

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *