Sessão Especial celebra 46 anos da Embrapa Algodão de Campina Grande

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) realizou, nesta sexta-feira (16), sessão especial com o intuito de comemorar os 46 anos do Centro Nacional de Pesquisa (CNPA), atual Embrapa Algodão, em Campina Grande, comemorado no dia de hoje. Além disso, o encontro remoto teve o objetivo de discutir as ações e importância do trabalho da instituição para o Estado. A sessão foi proposta pelo deputado Chió e contou com a participação dos deputados Buba Germano, Moacir Rodrigues e Pollyanna Dutra.

O deputado Chió, que é engenheiro agrônomo e servidor da Embrapa, recordou que seu sonho e principal objetivo de vida sempre foi trabalhar na Embrapa. Para ele, a instituição é uma empresa que traz orgulho aos brasileiros pelo serviços que presta ao país. No caso específico da Embrapa Algodão, o Centro Nacional de Pesquisa (CNPA) na Paraíba, a empresa contribui com o desenvolvimento não só de Campina Grande, mas de toda a Paraíba com o auxílio dado a produção de algodão.

“A Embrapa ajudou a potencializar a Paraíba através do algodão colorido, a melhor tecnologia já criada na Embrapa Algodão. É uma honra muito grande. Não poderíamos deixar passar em branco o aniversário dessa instituição que orgulha a Paraíba”, argumentou Chió. Durante a sessão especial, foi proposta pelo deputado a ampliação das discussões, através de uma audiência pública, a respeito da produção do algodão orgânico na Paraíba. “Iremos fazer um debate mais aprofundado sobre a elaboração de políticas públicas para o algodão orgânico paraibano e a respeito do papel da ciência e da tecnologia no agro paraibano”, disse.

Para a deputada Pollyanna Dutra, a Embrapa é referência, não só para a Paraíba, mas para todo o Brasil. A parlamentar lembrou que o município de Pombal, onde nasceu, foi erguida tendo como base a cultura do algodão, mas que assim como outros municípios paraibanos, teve seu declínio econômico com a queda da produção. “O Brasil achou melhor usar o algodão que vem da China, trazendo um empobrecimento do nosso sertão, que antes usava o algodão (e sua exportação) como moeda valiosa, com melhoria da qualidade de vida e renda”, recordou Pollyanna. A deputada destacou ainda que sua especialização acadêmica realizada através da Embrapa a fez conhecer, entender e reconhecer a importância da instituição com pesquisas, extensão e produção. “Me encaminhei na vida política, mas sempre com orgulho e respeito pela atuação da Embrapa. Por isso, fiz questão de participar da sessão, hoje. Não só para parabenizar, mas para reforçar esse legado que a gente aprende ao conviver com os melhores pesquisadores do mundo”, comemorou a deputada.

Já o deputado Buba Germano, também engenheiro agrônomo da Embrapa, disse que a sessão especial realizada pelo Legislativo paraibano é uma homenagem muito justa pela atuação da instituição no estado e por sua contribuição no desenvolvimento produtivo do semiárido. “Nos orgulhamos muito de sermos ‘embrapeanos’. No momento que vivemos no nosso país, de desprezo à ciência, à tecnologia e à pesquisa, nós nos orgulhamos de dizer ao Brasil que somos responsáveis pelo equilíbrio da balança comercial de exportação do nosso país, fruto de tecnologias desenvolvidas pela nossa empresa”, ressaltou Buba, acrescentando que a Embrapa é um patrimônio do país e do mundo, porque tem pesquisadores competentes e um “centro algodoeiro que orgulha muito os paraibanos e nordestinos”.

O chefe-geral da Embrapa Algodão, Alderi Emílio, ressaltou que o dia de hoje é uma data marcante para a Embrapa, que chegou a Paraíba com o intuito de gerar desenvolvimento para o estado através da cultura de algodão, levando Campina Grande a se tornar o segundo maior polo produtor de algodão do mundo, gerando renda e qualidade de vida para a população do município. “Não foi por caso que a Embrapa veio para a Paraíba. No período em que nos instalamos aqui, o semiárido do Nordeste cultivava mais de 3,3 milhões de hectares de algodão, quando o país semeava 4,1 milhões de hectares, sendo responsável por 80,4% da área de algodão plantada no país e respondendo por 40% da produção nacional”, lembrou Alderi. Para o futuro da empresa, o chefe-geral anunciou que está sendo instalada na Paraíba uma unidade da Embrapa Caprinos e Ovinos para atender esse segmento da cadeia produtiva, além da inauguração, também em Campina Grande, de um laboratório da tecnologia do leite. “Peço saúde para todos nós e para todos os nossos parceiros para possamos continuar trilhando esse caminho maravilhoso de sucesso, parceria e união, empenhando esforços com as autoridades públicas da Paraíba para transformar o setor agropecuário brasileiro com produtos inovadores a partir do sucesso do agronegócio paraibano”, concluiu o chefe-geral da CNPA.

A sessão especial contou com a participação do secretário de Estado da Agricultura Familiar e Desenvolvimento do Semiárido, Jonildo Cavalcanti; do presidente da FAEPA e vice-presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil-CNA, Mário Borba; do diretor presidente da Empaer–PB, Nivaldo Moreno Magalhães; da diretora do INSA, Mônica Tejo Cavalcanti; da representante da empresa francesa Vert Veja, Maria Valdenira Rodrigues de Almeida; do secretário municipal de Agricultura de Campina Grande, Renato Gadelha; da secretária Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação de Campina Grande, Laryssa Mayara Alves de Almeida; da diretora Presidente da Coopnatural, Maysa Motta Gadelha; do pesquisador da Embrapa; Marenilson Batista da Silva; do agricultor Luciano Villa Lafayette; do representante da ONG ASPTA, José Edson; do presidente do Assentamento Juá (em Taperoá) e presidente do CMDRS, José Luiz de Araújo; e do representante da empresa espanhola Organic Cotton Colour, Diogenes Fernandes.

Assine nosso boletim de notícias

Receba gratuitamente em seu email todas as notícias que acontecem no vale do Piancó, na Paraíba e no mundo, assine já, é grátis, digite seu melhor e-mail no compo abaixo e click no botão Assinar.

Falta pouco

Confirme sua assinatura gratuita seguindos o passo a passo abaixo:

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *