Setor de grandes eventos na Paraíba espera que previsão para maior liberação de público se cumpra: “até 50% é inviável”

O novo decreto de João Pessoa publicado nesta segunda-feira (15) manteve os 20% da capacidade de público em shows na cidade. O novo texto, válido até o dia 30 de novembro, estabelece um cronograma gradual de liberação em dezembro, sendo 50% do dia 1º a 10; 80% do dia 11 ao 20 e 100% a partir do dia 21.

A proposta original, no entanto, previa que a partir deste mês os eventos já pudessem estar com 50% do público total. A medida não foi decretada diante da alta taxa de transmissão de covid-19 na capital paraibana, apesar do avanço da vacinação.

Em contato com o ClickPB, o presidente da Associação Brasileira de Produtores de Eventos (Abrape), Delano Tavares, afirmou que a procura e a receptividade do público em eventos menores têm sido boas, mas alertou que os grandes eventos que estão sendo planejados para o período do fim do ano podem não ocorrer caso a previsão da prefeitura não se cumpra novamente.

“A gente já tem um número de shows programados, mas muitos produtores estão esperando saber como é que vai ser conduzida essa liberação para que possam anunciar alguns eventos. Se a capacidade de público ficar em 20% a 50%, médios e grandes eventos dificilmente vão acontecer aqui”, explicou.

“É uma questão financeira porque se inviabiliza o pagamento de cachês de bandas e de estrutura. Até porque não conseguimos negociar isso com as atrações, por exemplo, porque outros estados já estão bem mais avançados em relação a essa liberação. Então, os artistas vão acabar optando em tocar em outros estados, como no Rio Grande do Norte”, concluiu.

 

 

Click PB

Assine nosso boletim de notícias

Receba gratuitamente em seu email todas as notícias que acontecem no vale do Piancó, na Paraíba e no mundo, assine já, é grátis, digite seu melhor e-mail no compo abaixo e click no botão Assinar.

Falta pouco

Confirme sua assinatura gratuita seguindos o passo a passo abaixo:

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *