‘Sofria espancamento cronicamente’, diz laudo de criança de 1 ano morta em CG; mãe é suspeita

Uma criança de um ano e dois meses, moradora do Conjunto Aluízio Campos, em Campina Grande, foi morta nessa segunda-feira (23). A principal suspeita do crime é a mãe. O Sistema Arapuan teve acesso ao laudo tanatoscópico que aponta a causa mortis (leia ao final da matéria).

“O menor sofria espancamento cronicamente, contudo a última agressão física contundente – espancamento – causou a morte por lesão de órgãos abdominais e hemorragia; havendo também sinais de asfixia que são as petéquias na conjuntiva ocular e tecido pulmonar”, diz o relatório.

De acordo com a delegada que investiga o caso, a vítima foi levada até o hospital já sem vida e apresentava sinais de espancamento. A médica que tentou realizar a reanimação apontou hematomas na testas e costas da criança e por isso acionou a polícia.

A acusada nega que tenha batido na criança e que ela tinha caído de cima de uma bicama no dia anterior, mas a avó revelou que a progenitora havia sido processada anteriormente por espancar outro filhos (ela tem cinco no total).

 

 

 

Yves Feitosa

Assine nosso boletim de notícias

Receba gratuitamente em seu email todas as notícias que acontecem no vale do Piancó, na Paraíba e no mundo, assine já, é grátis, digite seu melhor e-mail no compo abaixo e click no botão Assinar.

Falta pouco

Confirme sua assinatura gratuita seguindos o passo a passo abaixo:

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *