STF mantém concurso da Polícia Federal neste domingo

O Supremo Tribunal Federal (STF) votou nesta sexta-feira, 21, o pedido de suspensão das provas do concurso da Polícia Federal 2021. O julgamento terminou com seis votos a favor da manutenção e apenas um pelo adiamento.

O ministro que votou pelo adiamento, inclusive, foi o primeiro a votar. O responsável pelo voto foi Edson Fachin, relator do processo. Mas, não foi capaz de levar a decisão até o fim.

Sozinho, Fachin viu todos os companheiros irem contra o seu voto e divergirem da decisão. Alexandre de Moraes, Dias Toffoli, Carmem Lúcia, Marco Aurélio, Nunes Marques e Luiz Fux, presidente, foram favoravéis a manter as provas.

Com 6 votos a favor da manutenção das provas e apenas um para o adiamento, não há mais chance do STF decidir pela não realização. Ainda falta aparecer o voto de Nunes Marques no site do órgão, mas já é dado como certo. Então, os candidatos já podem se preparar para provas no domingo, 23.

Confira abaixo como se deu cada voto

Votação STF – Placar final (voto favorável 1 x 6 voto contra)

Edson Fachin – o ministro e relator foi o primeiro a votar e optou pelo adiamento das provas. Ele pede a suspensão do edital de nº9, o de convocação, que confirmou as provas em 23 de maio. Com isso, os exames ficam adiados e o Cebraspe precisaria divulgar um novo edital de convocação com outra data, posteriormente.

Alexandre de Moraes – o ministro votou contra o adiamento, divergindo de Fachin. Ele alega ‘protocolos científicos de segurança’. Com isso, a votação está empatada.

Dias Toffoli –  o ministro acompanhou a divergência de Alexandre de Moraes e votou pela manutenção da prova e contra o adiamento. A votação agora está 2 x 1.

Carmem Lúcia – a ministra acompanhou a divergência de Toffoli e Alexandre de Moraes, votando pela manutenção das provas. Agora, são 3 votos a 1.

Nunes Marques – a TV Justiça confirmou, ao vivo, o voto do ministro Kassio Nunes Marques. Ele também divergiu de Fachin e foi a favor a manutenção das provas e não adiamento. Agora são 4 votos a 1. Mais dois e as provas serão confirmadas.

Marco Aurélio – Acompanhando a divergência da maioria, o ministro Marco Aurélio também optou em manter as provas e não adiar. Agora falta apenas um voto para as provas do concurso da Polícia Federal serem confirmadas.

Luiz Fux – O ministro e presidente do STF, Luiz Fux, votou pela manutenção das provas. Ele acompanhou a divergência dos demais e se manteve favorável a não adias as provas da Polícia Federal.

 

 Folha Dirigida

Assine nosso boletim de notícias

Receba gratuitamente em seu email todas as notícias que acontecem no vale do Piancó, na Paraíba e no mundo, assine já, é grátis, digite seu melhor e-mail no compo abaixo e click no botão Assinar.

Falta pouco

Confirme sua assinatura gratuita seguindos o passo a passo abaixo:

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *