Taxa de transmissão da Covid-19 no Brasil é a mais baixa desde abril

A taxa de transmissão do novo coronavírus no Brasil caiu de 1 para 0,94, o menor índice desde abril, mostra relatório semana do Imperial College London. O número, também chamado de ritmo de contágio (Rt), reforça a tendência de estabilização da pandemia.

Esse patamar abaixo de 1 tinha sido registrado em 16 de agosto, quando a taxa estava em 0,98.

Também simbolizado por Rt, o “ritmo de contágio” é um número que traduz o potencial de propagação de um vírus: quando ele é superior a 1, cada infectado transmite a doença para mais de uma pessoa e a doença avança.

Segundo o relatório, os dados levam em conta a média das estimativas de mortes na comparação das duas semanas. Pelas estatísticas, essa taxa pode ser ainda maior (até Rt = 1,01) ou menor (até Rt = 0,90).

A atualização desta semana se refere a números totalizados no domingo (30).

Cautela na interpretação

O relatório do Imperial College London pondera que os números sobre o Brasil vêm passando por mudanças na maneira de divulgação e que, portanto, os resultados precisam ser interpretados com cautela.

O Brasil aparece com uma taxa menor do que outros países sul-americanos, como Chile (0,97), Venezuela (1,06), Argentina (1,09) e Paraguai (1,32).

Números do Brasil

De acordo com o consórcio de veículos de imprensa, o Brasil registrava mais de 121 mil mortes por Covid-19 até as 8h desta terça. O total de casos acumulados do novo coronavírus passava de 3,9 milhões.

Na segunda, a média móvel de novas mortes em 7 dias foi de 866 óbitos, uma variação de -12% em relação aos dados registrados 14 dias antes. Essa foi a média mais baixa desde o dia 20 de maio, quando a média móvel foi de 804 novas mortes confirmadas por dia.

 

 

G1

Assine nosso boletim de notícias

Receba gratuitamente em seu email todas as notícias que acontecem no vale do Piancó, na Paraíba e no mundo, assine já, é grátis, digite seu melhor e-mail no compo abaixo e click no botão Assinar.

Falta pouco

Confirme sua assinatura gratuita seguindos o passo a passo abaixo:

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *