Três cachaças paraibanas levam medalha de ouro em concurso mundial na Bélgica

Três cachaças paraibanas levaram medalha de ouro no Concours Mondial de Bruxelles, realizado em Bruxelas, na Bélgica. O resultado foi divulgado esta semana e consagrou as cachaças Matuta Single Blend 3,5 anos, do Engenho Vaca Brava em Areia; Baraúna Carvalho Premium 4 anos, do Engenho Baraúna em Alhandra; e a Boa do Brejo, do Engenho São Pedro em Areia, como as melhores do mundo.

O concurso foi realizado entre os dias 21 e 24 de outubro e foi composto por um júri com representantes de vários países, entre eles estava o brasileiro Maurício Maia. O Concours Mondial de Bruxelles é realizado há mais de duas décadas e tem se fortalecido como referência no mercado internacional. A cachaça Matuta Single Blend 3,5 anos levou ainda o prêmio de revelação entre as cachaças premiadas com a medalha de ouro, o engenho fica na cidade de Areia – município que foi reconhecido como capital paraibana da cachaça por meio da lei nº 11.879/21, de autoria de Eduardo Carneiro.

Para o deputado estadual e presidente da Frente Parlamentar de Empreendedorismo e Desenvolvimento Econômico da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), Eduardo Carneiro, esse é mais um resultado que coloca a Paraíba e a produção da cachaça  em destaque no âmbito nacional. “Nosso estado tem grande potencial na produção de cachaça e devemos estimular cada vez mais essa vocação. Concursos como estes não só revelam a qualidade dos produtos que saem do nosso estado, como contribuem para o desenvolvimento e o fortalecimento do setor”, frisou.

Atuação – Com o intuito de valorizar e reconhecer o trabalho desenvolvido por engenhos que atuam no mercado da cachaça de forma legal no Estado da Paraíba, o deputado estadual Eduardo Carneiro apresentou na Assembleia Legislativa o Projeto de Lei nº 2.631/2021, que estabelece parâmetros para fiscalização efetiva sobre engenhos e alambiques clandestinos. A propositura cria um Disque Denúncia de Produção Clandestina, atrelado à Secretaria de Agricultura Familiar e Desenvolvimento do Semiáridos, que receberá as denuncias da produção irregular de cachaça e vai executar as fiscalizações e inspeções.

Também é de autoria de Eduardo a Lei nº 11.879/21, que deu ao município de Areia o título de  ‘Capital Paraibana da Cachaça’. A legislação tem como objetivo aquecer o turismo e a economia local.

 

Wscom

Assine nosso boletim de notícias

Receba gratuitamente em seu email todas as notícias que acontecem no vale do Piancó, na Paraíba e no mundo, assine já, é grátis, digite seu melhor e-mail no compo abaixo e click no botão Assinar.

Falta pouco

Confirme sua assinatura gratuita seguindos o passo a passo abaixo:

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *