Tribunal de Justiça nega embargos da defesa que pedia anulação do júri de policiais acusados de crime em Santana de Mangueira

O Tribunal de Justiça da Paraíba negou, na tarde desta terça-feira (23), os embargos defesa para anulação do júri em que foi citado ‘Os temidos do Júri 2019’, que supostamente teria ocorrido durante uma sessão na Comarca de Conceição. O relator foi o Desembargador Joás de Brito Pereira Filho. O júri foi presidido na ocasião pelo juiz Antonio Eugênio.

O júri ocorreu no dia 14 de maio de 2019 e só veio a terminar na madrugada do dia seguinte. Na ocasião os dois réus, um policial militar, José Alênio Leal Bezerra e um agente da polícia Francisco Renato Pereira, foram condenados a uma pena de 45 anos e 10 meses de reclusão.

No pedido, a defesa alegou que houve violação ao princípio da incomunicabilidade dos jurados, posto que criado um grupo de whatsapp intitulado “Os temidos do Júri de 2019”, “…exatamente um dia após a dissolução do corpo de sentença composto para julgamento deste caso, agendado inicialmente para o dia 9 de maio de 2019”, composto pelos 25 membros do corpo de sentença da comarca e presidido por Kallyza Karla Lopes de Lacerda Santos, a qual, inclusive, compôs o Conselho de Sentença.

 

 

Vale do Piancó Notícias

Assine nosso boletim de notícias

Receba gratuitamente em seu email todas as notícias que acontecem no vale do Piancó, na Paraíba e no mundo, assine já, é grátis, digite seu melhor e-mail no compo abaixo e click no botão Assinar.

Falta pouco

Confirme sua assinatura gratuita seguindos o passo a passo abaixo:

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *