Faturamento do mercado farmacêutico cresce 11,16% nos últimos 12 meses

Com um crescimento do faturamento de 11,16% no período de doze meses, findado em julho, comparando com o mesmo período do ano anterior, o mercado farmacêutico se mostrou um dos mais resistentes no período de crise. Entretanto a situação atípica também trouxe algumas mudanças na ida a esses estabelecimentos, fortalecendo principalmente as lojas que se encontram em bairros.

Os dados mostram que o agrupamento de farmácias que mais cresceu no período foram as associadas à Febrafar, que cresceram 19,9% no referido período, seguido de outras redes associativistas e franquias que cresceram 14,7%; as independentes que cresceram 14,5; as grande redes corporativas (Abrafarma) com crescimento de 9,3, e demais redes corporativas que cresceram 3,8%.

“O crescimento das lojas da Febrafar acima do mercado já é constante e se manteve alto. Contudo, o grande diferencial dos números apresentados foi o crescimento das independentes, que vinha com um crescimento abaixo do mercado e agora estão se destacando. Isso se deve principalmente ao fato desses estabelecimentos estarem nos bairros e como as pessoas ficaram em confinamento, optaram por comprar em locais próximos”, explica Edison Tamascia, presidente da Febrafar.

O constate crescimento acima da média da Febrafar que Tamascia se refere é constatado na análise do crescimento do grupo de 2016 para cá, sendo que cresceu 81,1%, outras redes associativistas e franquias que cresceram 55,6%, já as redes corporativas cresceram 35,7% e as independentes 26,2%.

O mercado ao todo cresceu 37,9%. Em relação ao futuro desse mercado, o presidente da Febrafar acredita que não deverá ter muitas variantes do que ocorreu no passado. “Existem vários fatores que contribuem para o crescimento acima da média do canal farmacêutico, dentre os quais podem ser citados: essencialidade, evolução demográfica, patologias epidêmicas e desenvolvimento do mercado”, avalia o presidente da Febrafar.

Um dado que é observado na análise do mercado é que o crescimento só será consistente se esse se der em função da profissionalização das lojas e não apenas na abertura de novas lojas. Por isso se tem essa crescente importância do associativismo como alternativa para os empresários.

“Pensar e executar tudo o que é necessário para prosperar no varejo farmacêutico exige tempo, dedicação contínua e muita atenção. O mundo dos negócios é extremamente complexo e tentar crescer de forma individualizada exige uma grande carga de esforço e tempo”, avalia Edison Tamascia.

Um fato é claro, em função desta profissionalização e do momento que o país atravessa, o mercado farmacêutico certamente continuará crescendo, se desenvolvendo e criando muitas oportunidades de negócios. E o ponto primordial é que esse crescimento proporciona benefício a todos, com destaque à população que possui cada vez mais acesso aos medicamentos.

Assessoria

Assine nosso boletim de notícias

Receba gratuitamente em seu email todas as notícias que acontecem no vale do Piancó, na Paraíba e no mundo, assine já, é grátis, digite seu melhor e-mail no compo abaixo e click no botão Assinar.

Falta pouco

Confirme sua assinatura gratuita seguindos o passo a passo abaixo:

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *