Itália decreta toque de recolher para tentar conter 2ª onda de covid-19

 

Em 21 de março, a Itália teve seu pior dia durante a 1ª onda: 6.554 novos casos em 24 horas. Agora, em meio à 2ª onda, o país registrou 31.756 em 31 de outubro.

Para tentar controlar a propagação do novo coronavírus, o governo dividiu o país em 3 zonas: vermelha, laranja e verde. Além do toque de recolher, que vale para toda a Itália, medidas adicionais serão tomadas dependendo da classificação de cada região.

Os municípios que estejam na zona verde terão mais liberdade, mas ainda precisarão cumprir regras. As aulas do ensino médio serão 100% à distância. Transportes públicos terão que circular com 50% da capacidade. Shoppings devem ficar fechados em fins-de-semana e feriados.

Além das restrições acima, as regiões “laranjas” terão os bares e restaurantes fechados.  Os moradores estão proibidos de deixar a cidade de residência. Nas zonas vermelhas, só será permitido sair de casa para trabalhar, levar crianças para a escola ou por motivos de saúde.

Europa

A Europa está recorrendo a novos lockdowns para tentar evitar 1 colapso nos hospitais devido a alta de casos na última semana.

Depois de 1 confinamento rigoroso durante os primeiros meses da pandemia, os países europeus abriram suas fronteiras ao longo do verão no hemisfério norte. Com a chegada do outono, a Europa voltou a ver o número de casos aumentar. Países como França, Alemanha, Itália e Suíça já implementaram medidas mais restritivas para tentar conter a propagação do vírus.

diretor regional da OMS (Organização Mundial de Saúde), Hans Henri P. Kluge, disse em 15 de outubro que “a evolução da situação epidemiológica na Europa suscita grande preocupação”. “O número de casos diários aumenta, as admissões hospitalares aumentam e a covid-19 é agora a 5ª principal causa de morte.”

 

 

MSN

Assine nosso boletim de notícias

Receba gratuitamente em seu email todas as notícias que acontecem no vale do Piancó, na Paraíba e no mundo, assine já, é grátis, digite seu melhor e-mail no compo abaixo e click no botão Assinar.

Falta pouco

Confirme sua assinatura gratuita seguindos o passo a passo abaixo:

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *