Concurso Anvisa: diretor solicita novo certame; deficit de 94 vagas

O diretor presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Antonio Barra Torres, pediu a liberação de um novo concurso Anvisa para o ministro da Economia, Paulo Guedes. Ele afirmou que serão necessárias pelo menos 94 novas vagas para suprir o déficit no quadro de servidores. Atualmente, a agência conta com 1.587 cargos ocupados (98 a menos do que o previsto por lei).

A assessoria de comunicação da Anvisa, em mensagem encaminhada para o Concursos no Brasil, informou que o certame ainda não foi autorizado pela pasta da Economia. “A Anvisa aguarda a autorização do Ministério da Economia para realizar o seu próximo concurso público. Dessa forma, ainda não existe previsão para a publicação do edital do certame, onde constarão todos os detalhes da seleção”, explicou.

Situação atual do concurso Anvisa

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária não publica um novo edital de seleção há cerca de quatro anos (o último concurso Anvisa foi em 2016). Esse certame teria validade até março de 2021, porém o prazo foi suspenso por conta da pandemia. De acordo com informações da assessoria da autarquia e do Sistema de Acesso a Informação, a mais recente solicitação foi formalizada em 2020.

O pedido contemplava o preenchimento de 89 vagas, porém o déficit mais recente indica que há 93 postos vagos no órgão. Nessa última solicitação, a agência tinha a intenção de preencher 89 vagas, sendo distribuídas entre os cargos que descrevemos logo abaixo. Mas, em matéria de concurso público, a situação da instituição não está diferente da dos demais órgãos federais: vem fazendo reiterados pedidos ao Ministério da Economia e espera um dia ser autorizada.

 

Concursos no Brasil

Assine nosso boletim de notícias

Receba gratuitamente em seu email todas as notícias que acontecem no vale do Piancó, na Paraíba e no mundo, assine já, é grátis, digite seu melhor e-mail no compo abaixo e click no botão Assinar.

Falta pouco

Confirme sua assinatura gratuita seguindos o passo a passo abaixo:

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *