Crise energética: governo estuda desconto de R$ 0,50 por kWh economizado

Técnicos do governo e de agências que trabalham no gerenciamento da crise hídrica no país devem anunciar ainda nesta semana um prêmio para consumidores que reduzirem o consumo na conta de luz entre setembro e dezembro.

A ideia é oferecer um desconto por kwh economizado no período de quatro meses em relação ao mesmo período do ano passado. Na semana passada, o governo lançou um programa para estimular a redução voluntária no consumo como forma de evitar um possível racionamento energético.

O valor hoje em discussão é de 50 centavos por kwh economizado, mas pode haver uma regra de dar o bônus somente a quem reduzir a partir de 10% da conta total de luz.

Outro programa de estímulo à redução do consumo em estudo tem como alvo os consumidores livres – grandes empresas, indústrias, shopping centers.

Os dois prêmios foram discutidos ao longo de reuniões no final de semana por técnicos do governo e de órgãos que trabalham no gerenciamento da crise de energia.

O problema é que o desconto para os consumidores seria bancado pelo chamado Encargo do Serviço do Sistema, que é parte da cobrança feita na conta de luz. Na prática, significa que todos pagariam pelo bônus, até mesmo quem economizou.

Obrigatoriedade

Especialistas no setor dizem que a situação é grave no nível dos reservatórios e que seria importante que o governo também baixasse obrigatoriedade na redução do consumo. Citam o apagão de 2001, quando o governo conseguiu uma redução expressiva ao multar consumidores que aumentassem o consumo.

Até o momento, o governo descarta a possibilidade de medidas drásticas, como multas ou tarifas ainda mais altas para grandes consumidores.

 

 

G1

Assine nosso boletim de notícias

Receba gratuitamente em seu email todas as notícias que acontecem no vale do Piancó, na Paraíba e no mundo, assine já, é grátis, digite seu melhor e-mail no compo abaixo e click no botão Assinar.

Falta pouco

Confirme sua assinatura gratuita seguindos o passo a passo abaixo:

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *