Deputados do PTB pedem afastamento de Roberto Jefferson e manobra pode trazer Wilson Santiago de volta à direção da legenda na Paraíba

Cinco deputados federais da bancada do PTB pediram o afastamento do presidente do partido, Roberto Jefferson, e de toda a direção nacional por uso “indevido” do fundo partidário e “ofensas” ao Supremo Tribunal Federal (STF). No texto, eles afirmam que Jefferson transformou a agremiação em seu “feudo pessoal” e que utilizou dos canais de comunicação da sigla como “instrumento de agressão, de propagação de discurso de ódio e de ruptura ao Estado Democrático de Direito”.

A ação é assinada pelos deputados federais Wilson Santiago (PTB-PB), Nivaldo Albuquerque (PTB-AL), Pedro Geromel (PTB-CE), Emanuel Pinheiro (PTB-MT) e José Costa (PTB-PA), além do estadual Antônio Albuquerque (PTB-AL); e foi protocolada na noite de quinta-feira (21) no Tribunal de Justiça do Distrito Federal.

No texto, os parlamentares pedem ao juiz que acolha ao pedido de forma urgente devido ao “indubitável perigo de dano” que “agravariam ainda mais os prejuízos irreparáveis já sofridos pelo partido”. E solicitam a nomeação de uma nova Executiva na qual o presidente seja o autor da ação, o deputado estadual Antônio Albuquerque.

A ação diz que Jefferson “subverteu” a história do partido fundado em 1945 por Getúlio Vargas para “adaptá-lo às pautas” de Bolsonaro. “O novo PTB não condiz com linha ideológica histórica da agremiação, consubstanciando, na verdade, mero interesse pessoal de Roberto Jefferson continuar no poder pelo poder”, afirma a ação.

MUDANÇA NA PARAÍBA E OUTROS

Caso seja concretizada a manobra, o comando do PTB na Paraíba poderá retornar ao deputado federal Wilson Santiago, afastado da função por uma decisão da Executiva Nacional, por intermédio do próprio Roberto Jefferson, que concedeu a presidência ao comunicador Nilvan Ferreira. Outros diretórios estaduais também poderão sofrer modificações.

Antes do racha interno, o PTB chegou a ser uma das siglas mais cotadas para filiar o presidente Jair Bolsonaro, que continua em busca de uma legenda para disputar a reeleição em 2022.

PRISÃO

Roberto Jefferson está preso desde agosto por determinação do ministro do STF Alexandre de Moraes, relator do chamado inquérito dos atos antidemocráticos. Jefferson chegou a entrar com pedido de habeas corpus, mas ele foi rejeitado pelo plenário da corte. Quem preside hoje o PTB de forma interina é Graciela Nienov, que, segundo a ação, “segue a mesma linha” de Jefferson, “com conteúdo ameaçador ao STF”.

Procurados, a direção nacional do PTB ainda não se pronunciou sobre a ação.

 

 

Wscom

Assine nosso boletim de notícias

Receba gratuitamente em seu email todas as notícias que acontecem no vale do Piancó, na Paraíba e no mundo, assine já, é grátis, digite seu melhor e-mail no compo abaixo e click no botão Assinar.

Falta pouco

Confirme sua assinatura gratuita seguindos o passo a passo abaixo:

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *