Envolvidos na Calvário continuaram a agir mesmo após operações

O Coordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) na Paraíba, promotor Octávio Celso Gondim Paulo Neto, comentou em entrevista ao programa Arapuan Verdade, da Arapuan FM, nesta quinta-feira (04), que investigados continuaram praticando desvios mesmo após serem alvo em fase anteriores da Operação Calvário.

O objetivo da 11ª e 12ª fase da Operação Calvário deflagrada na manhã desta quinta, é responsabilizar envolvidos em “inúmeros e vultuosos” desvios de dinheiro público ocorridos na Pasta da Educação do governo do Estado e Prefeitura de João Pessoa.

“Isso demonstra que os trabalhos dos investigados não cessaram com as diversas operações e continuaram a acontecer mesmo após a Operação Juízo Final. Informamos à população e os empresários, que foram vítimas de determinadas condutas que conflitam com a legalidade, que procurem o MPPB para tomarmos a providencias devidas”.

Foram cumpridos ao todo 28 mandados de busca e apreensão e três de prisão preventiva na Paraíba, Santa Catarina, São Paulo e Distrito Federal. Foram presos o ex-presidente estadual do PSB, Edvaldo Rosas, o irmão do ex-governador Ricardo Coutinho, Coriolano Coutinho e o empresário Pietro Harley Dantas Félix.

 

Marília Domingues/Arapuan FM

Assine nosso boletim de notícias

Receba gratuitamente em seu email todas as notícias que acontecem no vale do Piancó, na Paraíba e no mundo, assine já, é grátis, digite seu melhor e-mail no compo abaixo e click no botão Assinar.

Falta pouco

Confirme sua assinatura gratuita seguindos o passo a passo abaixo:

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *