Indústria concorda com Guedes e diz que é melhor não fazer reforma

Representantes de setores que vinham apontando defeitos na reforma tributária concordaram com a afirmação do ministro Paulo Guedes, na sexta (20), de que melhor seria não fazer a reforma do que piorar o sistema atual.

A fala levantou a antiga bandeira para que seja feita, antes, a reforma administrativa.
“Essa reforma, que não é tributária, mas apenas do Imposto de Renda, deve ser esquecida. Vamos fazer a reforma administrativa para saber o tamanho do estado e depois a tributária”, diz Nelson Mussolini, presidente do Sindusfarma, que reúne o setor farmacêutico.

Basílio Jafet, presidente do Secovi-SP (construção), também diz que a ordem deveria ser invertida, para definir o custo do estado em condições mais enxutas antes de propor uma reforma que trate de todos os impostos e não apenas o IR.

“É difícil concordar com modificações específicas sem saber como fica o todo. Talvez, se realizasse só pequenos ajustes pontuais, corrigindo distorções hoje existentes, fosse mais fácil prosseguir. Deixaria a reforma como um todo para ser debatida com tempo, sem açodamento”, afirma.

Para Jafet, o substitutivo atual tende a aumentar as distorções, ao criar condições diferentes para diversos segmentos e para empresas de porte diferente.

“Se for para piorar o que já está ruim, é melhor não fazer reforma tributária”, diz José Augusto de Castro, da AEB (associação de comércio exterior).

Fernando Pimentel, da Abit (associação da indústria têxtil), diz que concorda com o ministro, mas pondera que piorar é relativo. “Mudar para piorar não vale, mas dependendo da ótica de quem olha, pode ser que melhore”, afirma.

José Ricardo Roriz, presidente da Abiplast (plásticos) e vice da Fiesp, discorda.

“Não é porque a reforma está ruim do jeito que está sendo encaminhada que devemos abandonar. É a reforma que vai trazer crescimento, empregos de melhor qualidade e investimento. Se ela está ruim, tem que melhorar, e não abandonar, porque há 33 anos tentamos fazer uma reforma tributária”, afirma Roriz.

 

 

Folha Pres

Assine nosso boletim de notícias

Receba gratuitamente em seu email todas as notícias que acontecem no vale do Piancó, na Paraíba e no mundo, assine já, é grátis, digite seu melhor e-mail no compo abaixo e click no botão Assinar.

Falta pouco

Confirme sua assinatura gratuita seguindos o passo a passo abaixo:

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *