Paraíba inicia última fase de inquérito sorológico para adotar novas medidas contra a Covid-19

A oitava semana da pesquisa Continuar Cuidando, fase final do levantamento, terá início nesta sexta-feira (18), em 31 municípios do Estado. A previsão é de que a conclusão da etapa de campo seja antecipada para o início da próxima semana. O inquérito sorológico analisa a situação epidemiológica da Paraíba frente à Covid-19, com base em entrevistas e testes (rápidos e RT-PCR) realizados com a população de 130 municípios. A análise destes dados servirá de base para a adoção de novas medidas para o enfrentamento da pandemia.

A Paraíba atualmente detém a marca dos 156.122 casos confirmados para o novo coronavírus, de 121.400 pessoas recuperadas e 3.487 vidas perdidas para o agravo. De acordo com o secretário executivo Daniel Beltrammi, a pesquisa considera todas as regiões do Estado, para que os gestores públicos obtenham um retrato de como a doença se comporta como um todo, o que é importante para que sejam mantidas, ou reformuladas, as ações de flexibilização e enfrentamento ao vírus.

“Outros estados tiveram a iniciativa de fazer um levantamento semelhante, porém não de uma forma global. O nosso estudo não é concentrado apenas em municípios, ou bairros de maior incidência, mas considera as diferentes regiões que vão desde a primeira macro até o interior paraibano, além de realizar um extrato social, o que possibilita saber como está o acesso às medidas de controle do vírus, como higiene das mãos, uso de máscaras e distanciamento social”, enfatiza o secretário executivo.

A pesquisa Continuar Cuidando segue com 48 equipes em todo o Estado para a realização de entrevistas e coleta de exames na população. A estimativa inicial seria de finalizar a fase de campo no dia 25 de dezembro, porém, devido a adesão da população e ao desempenho das equipes, está sendo possível adiantar o cronograma.

A sanitarista da Vigilância em Saúde da SES, Bernadete Moreira de Moura, comenta que este processo é resultado de um esforço coletivo e da receptividade da população, por entender a importância deste levantamento. “Mantivemos um cronograma bem definido, mas diante do trabalho intenso das equipes, somado à população que nos recebeu e colaborou com a pesquisa, pudemos adiantar o cronograma para que as coletas sejam finalizadas antes do Natal”, comentou.

Ela ressalta ainda que a pesquisa não se trata de um processo de abordagem em massa, mas sim de uma seleção aleatória realizada por sorteios em diversos bairros dos municípios, semelhante ao levantamento censitário realizado pelo IBGE. “A pesquisa é importante para sinalizar aos gestores estaduais e municipais o redirecionamento de ações em relação à pandemia e permite ainda uma articulação da assistência à saúde para fazer um monitoramento de como estão as famílias e regiões de saúde acometidas pelo vírus”, finaliza a sanitarista.

Até esta quarta-feira (16), o inquérito ouviu e testou 8.117 paraibanos, em 123 cidades, em sete semanas. A projeção é de que sejam entrevistadas e testadas 1.200 pessoas até a próxima semana. A aplicação dos testes (rápido e RT-PCR) é realizada por profissionais de saúde da Secretaria de Estado da Saúde da Paraíba, devidamente equipados e identificados.

 

 

 

Wscom

Assine nosso boletim de notícias

Receba gratuitamente em seu email todas as notícias que acontecem no vale do Piancó, na Paraíba e no mundo, assine já, é grátis, digite seu melhor e-mail no compo abaixo e click no botão Assinar.

Falta pouco

Confirme sua assinatura gratuita seguindos o passo a passo abaixo:

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *