Terremoto causa desabamento de hospital na Indonésia

Um tremor de terra na Ilha de Sulawesi, na Indonésia, nessa quinta-feira (14) causou o desabamento de um hospital. Pelo menos 35 pessoas morreram de acordo com informações de autoridades do país, à RTP. As buscas prosseguem nos escombros do local e de outros edifícios.

“Segundo as informações mais recentes, há 26 mortos, todos na cidade de Mamuju”, a capital da província abalada pelo sismo, disse à AFP o responsável pela agência local de gestão de catástrofes, Ali Rahman. Além desses, mais oito pessoas morreram em Majene, uma localidade próxima.

“O hospital está destruído. Ruiu. Há doentes e pessoal do hospital presos nos escombros e estamos retirando”, disse o representante dos serviços de socorros na cidade de Mamuju.

Entre dez e 20 pessoas podem estar presas nos escombros e há centenas de feridos, de acordo com as autoridades locais.

O terremoto, de magnitude 6,2, segundo o Instituto norte-americano de Geofísica, foi registrado às 18h18 dessa quinta-feira (14, horário de Lisboa), com epicentro 36 quilômetros (km) ao sul de Mamuju e profundidade de 18 km.

Desabamentos provocados pelo tremor cortaram o acesso a uma das principais estradas da província. O sismo também causou danos no aeroporto local.

A agência norte-americana alertou para o perigo de réplicas, “que poderão ser tão ou mais fortes” que o sismo registrado, alertou a responsável, Dwikorita Karnawati, pedindo aos habitantes para se afastarem do mar, por haver risco de tsunami.

O forte sismo provocou pânico na ilha, já abalada em setembro de 2018 por um tremor de magnitude 7,5, seguido de um tsunami devastador, que deixou 4.300 mortos e desaparecidos e pelo menos 170 mil desalojados.

Redação com informações da RTP

Assine nosso boletim de notícias

Receba gratuitamente em seu email todas as notícias que acontecem no vale do Piancó, na Paraíba e no mundo, assine já, é grátis, digite seu melhor e-mail no compo abaixo e click no botão Assinar.

Falta pouco

Confirme sua assinatura gratuita seguindos o passo a passo abaixo:

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *