Vítima de injúria racial em agência bancária de João Pessoa diz que vai processar agressora: “quero ver ela provar que sou bandido”

O caso de injúria racial que chocou a todos na manhã desta quarta-feira (14) ganhou um novo episódio. A vítima, o trabalhador Daniel de Lima gravou um vídeo em que relata a agressão e fala das providências que tomou após a cena explícita de injúria racial, ocorrida dentro da agência do Banco do Brasil Tambaú, em João Pessoa.

No vídeo em que o ClickPB teve acesso, Daniel relata que estava no local para fazer um depósito e se deparou com a mulher questionando um dos funcionários do banco, após visualizar um cartaz de publicidade da empresa. “Ela abordou um funcionário do banco perguntando o porque de um negro fazendo a propaganda. Aí eu perguntei, não entendi senhora, e ela começou a me chamar de negro bandido, ladrão e outras coisas mais. Fico muito triste por ela”, relatou.

Daniel ainda explicou que já fez todos os procedimentos legais, “quero ver ela provar que sou bandido”, criticou.

A mulher poderá responder por injúria racial e difamação. O crime de injúria racial está previsto no artigo 140, parágrafo 3º do Código Penal e ocorre quando o autor ofende a dignidade ou o decoro utilizando elementos de ‘raça’, cor, etnia, religião, condições de pessoas idosas e portadores de deficiência.

 

 

Assine nosso boletim de notícias

Receba gratuitamente em seu email todas as notícias que acontecem no vale do Piancó, na Paraíba e no mundo, assine já, é grátis, digite seu melhor e-mail no compo abaixo e click no botão Assinar.

Falta pouco

Confirme sua assinatura gratuita seguindos o passo a passo abaixo:

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *