Barragem Mãe D´Água e Açude Estevam Marinho se unem e formam o complexão Coremas Mãe D´Água

Barragem Mãe D´Água e Açude Estevam Marinho se unem e formam o complexão Coremas Mãe D´Água

Destaque Vale
Joaquim
4 de março de 2024
60
A Barragem Mãe D’água localizada no município de Coremas, no Vale do Piancó, que abastece várias cidades do Sertão da Paraíba, se juntou ao açude Estevam Marinho, também em Coremas, o qual é o maior manancial do estado, e juntos formam o grande Complexo Coremas Mãe D’água.

A junção se deu após as chuvas registradas nas últimas semanas no Sertão da Paraíba.

Conforme o secretário de Meio Ambiente de Coremas, Zé Albertino, no decorrer do aumento do volume pluviométrico, a tendência é se unir os dois mananciais, o que ocorreu neste fim de semana.

A Barragem Mãe D’água tem capacidade de 545.017.499 metros cúbicos, enquanto o açude Estevam Marinho acumula até 744.144.193 metros cúbicos. Os dois juntos tem uma capacidade de 01 bilhão 289 milhões 163 mil 194 metros cúbicos.

Mesmo com a junção dos dois mananciais, o volume atual é de apenas 42,55% de sua capacidade. Atualmente o Complexo conta com 548.518.034 milhões de metros cúbicos. Os dados são da Agência Nacional das Águas (ANA), Agência Executiva de gestão das Águas (AESA) e do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS).

Deste sábado (2) para este domingo (3), choveu 95,1 milímetros no município de Coremas.

CHUVAS EM OUTRAS CIDADES

O fim de semana também foi chuvoso em cidades de outras regiões, além do Vale do Piancó. Em Cajazeiras choveu 15,7 mm e o total acumulado deste ano é de 423 mm.

Confira abaixo os dados pluviométricos de outros municípios do Sertão da Paraíba:

1 – Lagoa – 95,8 mm (região de Catolé do Rocha)
2 – Santa Cruz – 91 mm (região de Sousa)
3 – Pombal – 84,3 mm
4 – Paulista – 69 mm (região de Pombal)
5 – Boa Ventura – 60 mm (Vale do Piancó)
6 – Nova Olinda – 59,8 mm (Vale do Piancó)
7 – São Domingos – 56,7 mm (região de Pombal)
8 – Pedra Branca – 52,6 mm (Vale do Piancó)
9 – Nazarezinho – 47 mm (região de Sousa)
10 – São José da Lagoa Tapada – 43,1 mm (região de Sousa)
11 – Santana dos garrotes – 40 mm (Vale do Piancó)
12 – Condado – 35 mm (região de Patos)
13 – Vista Serrana – 34,5 mm (região de Patos)
14 – Serra grande – 33,2 mm (Vale do Piancó)
15 – Aparecida – 31 mm (região de Sousa)
16 – São Bentinho – 31 mm (região de Pombal)
17 – Diamante – 30 mm (Vale do Piancó)
18 – Joca Claudino – 29,3 mm (região de Cajazeiras)
19 – Uiraúna – 26,3 mm (região de Cajazeiras)
20 – Igaracy – 24,90 mm
21 – São Francisco – 24 mm (região de Sousa)
22 – Curral Velho – 21 mm (Vale do Piancó)
23 – Poço Dantas – 20,5 mm (região de Cajazeiras)
24 – Vieirópolis – 20,3 mm (região de Sousa)
25 – Açude Engenheiro Ávidos em Cajazeiras – 18,2 mm
26 – Cajazeirinhas – 18 mm (região de Pombal)
27 – Triunfo – 17,03 mm (região de Cajazeiras)
28 – Lastro – 16,7 mm (região de Sousa)
29 – São José de Caiana – 16,1 mm (Vale do Piancó)
30 – Ibiara – 15,5 mm (Vale do Piancó)
31 – Bernardino Batista – 14,5 mm (região de Cajazeiras)
32 – Itaporanga – 14,4 mm (Vale do Piancó)
33 – Conceição – 14,1 mm (Vale do Piancó)
34 – Santa Helena – 13 mm (região de Cajazeiras)
35 – Sítio São José em Cajazeiras – 12,8 mm
36 – Aguiar – 12,5 mm (Vale do Piancó)
37 – Olho Dagua – 12,4 mm (região de Patos)
38 – Marizópolis – 12 mm (região de Sousa)
39 – Açude Lagoa do Arroz em Cajazeiras – 11,9 mm
40 – Açude de São Gonçalo – 10,4 mm (região de Sousa)
41 – Santana de Mangueira – 4,3 mm (Vale do Piancó)
42 – Sousa – 3,2 mm

Os dados são da EMPAER (Empresa Paraibana de Pesquisa, Extensão Rural e Regularização Fundiária).

Conforme for chegando os dados na nossa redação de outras cidades, tão logo será acrescentados nesta matéria.

 

 

Diário do Sertão

Joaquim Franklin

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

You May Also Like!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.