A conjuntura político-eleitoral na Paraíba atesta embaraços em torno de João com a Oposição ainda sem ameaçar

Os últimos fatos políticos na Paraíba deixam claro a atual realidade sucessória com dificuldades criadas ao governador João Azevêdo por aliados como o Republicanos e o PP, cuja crise cria dificuldades para o chefe do Executivo ao não ter tido pulso mais forte lá atrás para se antecipar e se impor na conjuntura.

Este é o quadro real de embaraços na teia situacionista com efeitos mais fortes do que toda a Oposição junta, pois até agora não soube criar meios de ameaçar a reeleição.

Se reparar bem, mal comparando, a ação do Republicanos construiu à base da linguagem nacional tal qual o Centrão de Artur Lira criou na relação federal só restando ao governador habilidade e firmeza para não ficar refém desta estrutura partidária, da mesma forma em relação ao PP de Aguinaldo Ribeiro.

A OPOSIÇÃO EM SI

De todos os candidatos postos, de Veneziano Vital a Pedro Cunha Lima e Nilvan Ferreira não há até dados de agora nenhum fato extraordinário produzido pela Oposição a se impor na sucessão ameaçando a reeleição do governador.

Aliás, o fato mais forte se deu no decorrer da semana passada com gravação de vídeo de Lula apontando Vené e Ricardo Coutinho como seus candidatos, entretanto, a lógica política imporá a Lula ter de abrigar também no palanque a referência e estrutura de João Azevêdo porque é impossível ele não abrigar apoio ao candidato à reeleição do PSB, de Geraldo Alckmin.

CADÊ AS PESQUISAS

O fato é que na Paraíba todos os pré-candidatos mantêm pesquisas internas, mas nenhum deles expõe ou vaza os dados, nem os veículos de comunicação tradicionais têm exposto números, algo importante para monitoramento da sociedade.

Seja como for, até início de julho vamos ter dados de pesquisas para sabermos da tendência popular sabendo que a estrutura de governo interfere muito na fase preliminar em face dos apoios e efeitos nas bases municipais.

 

 

Wscom

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.