Cirurgia bariátrica realizada no Hospital Santa Isabel devolve saúde e qualidade de vida aos pacientes

“Mudou tudo na minha vida. Não me sinto mais cansado, não tomo mais remédio para hipertensão, faço exercícios físicos. Agora eu tenho mais qualidade de vida”. A declaração é do funcionário público José Audo de Araújo, 37 anos, um dos primeiros pacientes beneficiados com o serviço de cirurgia bariátrica oferecido pela Prefeitura de João Pessoa, cujo procedimento é realizado no Hospital Municipal Santa Isabel (HMSI).

Quatro meses após o procedimento, realizado em janeiro deste ano, José Audo está 33 quilos mais magro e conta que agora é uma outra pessoa. “Eu pesava 170 quilos quando fiz a cirurgia. Eu não dormia direito, era difícil sair até para trabalhar, eu estava muito pesado, cansando muito. Eu cansava tanto que tossia. O cansaço passou, estou fazendo atividade física, o que antes eu não conseguia fazer. Por conta da obesidade eu tinha a pressão arterial alta, tomava quatro medicamentos por dia e agora não tomo mais nenhum”, comemora.

A cirurgia bariátrica é indicada para pacientes que sofrem com obesidade grave e não tiveram sucesso em controle do peso após medidas clínicas, como dieta, atividade física e medicamentos. Para indicação do procedimento é utilizado o IMC (Índice de Massa Corpórea). Pacientes com IMC maior que 40, ou mais que 35 associado a alguma doença relacionada a obesidade são candidatos aptos a cirurgia.

Quando fez a cirurgia o IMC de José Audo era 70. Ele conta que chegou a pesar quase 200 quilos quando iniciou os preparativos para o procedimento. “Eu pesava 196 quilos e para poder fazer a cirurgia eu tive que perder peso”, disse.

A bariátrica exige mudanças no estilo de vida, como reeducação alimentar e atividade física, antes e depois do procedimento. Mudanças que os pacientes precisam seguir à risca, como faz José Audo, que tem como meta chegar aos 80 quilos. “Eu comia 10 pães por dia, uma média de 300 pães por mês. Agora a minha alimentação é totalmente diferente”, diz.

Mais saúde e autoestima 

Cerca de 40 dias após a cirurgia, a servidora pública Ingrid Thaline Lisboa de Morais Pereira, de 32 anos, também comemora os resultados.

“Mudou muita coisa na minha vida em termos de saúde, autoestima. Mesmo sendo ainda muito recente, a melhora na minha saúde é grande. Eu tomava medicação para a pressão e tinha problemas nos joelhos por conta do peso. Graças a Deus minha pressão normalizou e o joelho melhorou muito. A gente adquire saúde”, destacou.

Antes de se submeter a cirurgia, realizada no dia 28 de março, Ingrid conseguiu perder 20 quilos e depois do procedimento já perdeu 13 quilos até agora e segue no processo de mudança de vida. Ela destaca todo o cuidado e dedicação da equipe do Hospital Santa Isabel, contribuindo para o sucesso da cirurgia e recuperação dos pacientes. “Isso é de grande importância, dá uma segurança maior para quem faz a bariátrica”, garante.

Tanto Ingrid quanto José Audo continuam sendo acompanhados por integrantes da equipe multidisciplinar, composta por vários profissionais, como nutricionista, psicólogo, endocrinologista, fisioterapeuta e assistente social, que os acompanharam desde o momento da avaliação inicial para o procedimento. Esse acompanhamento continuará um ano e meio após a cirurgia.

Quem pode fazer a cirurgia

Fator de risco para diversas doenças, a obesidade aumentou em níveis alarmantes nos últimos anos. O problema atinge uma em cada quatro pessoas de 18 anos ou mais de idade no Brasil, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Um dos tratamentos da obesidade grave é a cirurgia bariátrica.

No Hospital Municipal Santa Isabel o serviço é chefiado pelo cirurgião bariátrico Geraldo Camilo Neto e o procedimento só é feito após uma rigorosa avaliação e todo um processo de preparação do paciente.

Para saber se a pessoa se encaixa no padrão indicado, o primeiro passo para o procedimento é a triagem dos pacientes, cujo parâmetro principal avaliado é o IMC, bem como o levantamento do histórico de saúde dos pacientes.

Uma vez que o paciente preencha os critérios, ele será encaminhado para uma reunião com a equipe multidisciplinar do serviço, onde terá um primeiro contato e assistirá uma série de palestras sobre o procedimento, o preparo e o que esperar do pós-operatório.

Nem toda pessoa com quadro de obesidade pode fazer uma bariátrica. Além de preencher os critérios de IMC, precisará passar por avaliação com os profissionais da equipe multidisciplinar, que vai avaliar e preparar o paciente para o processo envolvido no antes e depois da cirurgia.

Pacientes que apresentem condições clínicas, psicológicas ou físicas que impeçam a indicação da cirurgia poderão ser orientados e encaminhados a tratamentos para suas condições antes de seguir o preparo para cirurgia bariátrica.

Videolaparoscopia

No Hospital Santa Isabel estão disponíveis para os pacientes as duas principais técnicas de cirurgia bariátrica: o Sleeve e o Bypass. Ambas são realizadas por videolaparoscopia, quando uma câmera é introduzida através da parede abdominal e os órgãos são manipulados por pinças, o que torna os procedimentos minimamente invasivos, mais seguros.

 

Click PB

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.