Conselho Monetário autoriza redução nos juros do FNE em pelo menos 20%, diz presidente do BNB

José Gomes da Costa disse que o Conselho Monetário Nacional atendeu ao pleito do Governo Federal de novamente  adotar taxa de juros pré-fixadas sem indexação ao IPCA para as diversas linhas do FNE, o que deve reduzir em pelo menos 20% as taxas.

O Conselho Monetário Nacional (CMN) atendeu ao pleito do Governo Federal e as taxas praticadas nos financiamentos pelo Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) serão pré-fixadas. Isso deve fazer com que os juros nas diversas linhas de crédito operadas com recursos do FNE sejam reduzidas em pelo menos 20%, disse ao O POVO o presidente do Banco do Nordeste (BNB), José Gomes.

Até então, compunha também o cálculo da taxa de juros nestas operações o IPCA (inflação oficial). E o Governo Federal defendeu a mudança nesses tempos de inflação em alta. O anúncio oficial da mudança com os valores atualizados das taxas será feito na tarde desta quinta-feira, 10, em evento com o ministro Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional), em Salvador.

“Era algo que vinha em estudo pelo Governo Federal, através do Ministério do Desenvolvimento Regional e Ministério da Economia. E o CMN aprovou os estudos para as novas taxas de juros do FNE. É um importante benefício para a sociedade nordestina, pois as taxas pós-fixadas com indexador no IPCA têm gerado uma certa reclamação dos clientes por conta do aumento do IPCA, que é sazonal e provocado por diversos fatores da economia nacional e mundial. Para corrigir isso, o Governo Federal está ajustando o cálculo das taxas para pré-fixadas novamente”, afirma o presidente do BNB.

 

 

 

Agência Brasil

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.