Distorções salariais chamam atenção em prefeitura do Brejo; ‘serviços gerais’ ganha mais do que advogado

Distorções salariais chamam atenção em prefeitura do Brejo; ‘serviços gerais’ ganha mais do que advogado

Paraíba
Joaquim
16 de janeiro de 2024
46

A Prefeitura de Areia, no Brejo paraibano, possui, segundo dados disponibilizados pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), 698 servidores, dos quais 375 são efetivos, 65 comissionados e 241 contratados por excepcional interesse público, ou seja, contratados sem concurso. Os dados se referem à folha do mês de dezembro de 2023.

Levando-se em consideração a prestação de contas de todo o ano, o município desembolsou quase R$ 30 milhões para bancar as despesas com os salários dos servidores, mas um fato que vem chamando a atenção são as distorções nas remunerações pagas ao funcionalismo.

Para se ter uma ideia, por exemplo, um advogado (nível superior) contratado pelo município recebe R$ 1569 enquanto que um auxiliar de serviços gerais (nível fundamental) chega a receber R$ 1859.

Outro cargo que apresenta distorção salarial é o de pedreiro. Enquanto alguns profissionais são contratados para receber R$ 1320, o município paga até R$ 1880 a um servente de pedreiro.

Ainda de acordo com os dados do Tribunal de Contas, verifica-se que o salário de um pintor pode chegar aos R$ 2 mil, enquanto que o valor pago a um psicólogo é de R$ 1.450.

Outro ponto é o aumento no número de servidores contratados sem concurso público. Em janeiro de 2023, por exemplo, a prefeitura possuía 68 cargos comissionados e 94 prestadores de serviço. Já no mês de maio, os prestadores já eram 242.

 

Portal Paraíba

Joaquim Franklin

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

You May Also Like!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.