Em menos de um mês de campanha, candidatos a governador da Paraíba já gastaram mais de R$ 15 milhões

 

Os candidatos a governador da Paraíba já gastaram o total de R$ 15.266.402,60 em quase um mês de campanha, de acordo com levantamento feito pelo ClickPB junto ao sistema DivulgaCand, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nesta quarta-feira (14). Juntos, os oito candidatos ao Governo do Estado declararam ter recebido o total de R$ 13.909.949,90.

O campeão de gastos é Veneziano (MDB), que apesar de ter declarado recebimento de R$ 5 milhões provenientes do diretório nacional do MDB, já contratou despesas no valor de R$ 5.708.509,87. Os gastos foram feitos com adesivos, publicidade, guia eleitoral, locação de automóveis, combustível, serviços contábeis, serviços elétricos, fornecimento de quentinhas, locação de imóveis e prestação de serviços para a campanha.

Pedro Cunha Lima (PSDB) é o segundo candidato com mais gastos até o momento. As despesas declaradas por ele também superam os recebimentos no total de R$3.455.000, sendo a maior parte proveniente do diretório nacional de seu partido e outras doações, inclusive de Raimundo Lira e Glória Cunha Lima, que cederam imóveis para uso da campanha. O tucano já declarou ter gasto R$ 4.097.403,42 em contratação de despesas, incluindo gastos com adesivos e publicidade, locação de aeronave e veículos, assessoria de advocacia, impulsionamento de conteúdo nas redes sociais, fornecimento de lanches e refeições, além de pagamentos para prestadores de serviço e militância.

O governador João Azevêdo (PSB) recebeu R$ 4.205.700, sendo R$3.533.000 do PSB, R$300.000 do PP e R$ 180 mil do PSD, além de outras doações. O canddiato à reeleição já declarou contratação de despesas no total de R$ 4.957.839,34, que foram gastos com produção de jingles, vídeos de campanha, material publicitário, adesivos, santinhos, locação de aeronave e veículos, combustível, serviços de assessoria jurídica e contábil, além de pagamentos a prestadores de serviços e impulsionamento de conteúdo nas redes sociais.

Nilvan Ferreira (PL) recebeu R$ 1 milhão do diretório nacional do partido. O candidato declarou gastos de R$ 425 mil em despesas contratadas com planejamento estratégico de redes sociais, santinhos e adesivos, além de assessoria contábil e jurídica.

Adjany Simplício (PSOL) recebeu R$ 213.285,92 do partido. Até o momento declarou contratação de despesas no total de R$ 67.987, que foram gastos com panfletos, adesivos, serviços de gráfica, impulsionamento de conteúdo nas redes sociais, serviços de panfletagem.

Naascimento (PSTU) recebeu R$ 24.564 sendo R$ 23 mil provenientes da Direção Nacional do partido e o restante de doações. O canddiato declarou o total de R$ 1.366 em despesas contratadas, tendo feito gastos com panfletos e encargos financeiros.
Major Fábio (PRTB) recebeu R$ 8.400 por meio de doação feita por ele mesmo, conforme consta no sistema do TSE. Declarou R$ 8.297 em despesas contratadas em material de publicidade, como santinhos e adesivos.

A campanha mais humilde é a de Adriano Trajano (PCO), que recebeu R$ 3 mil do Diretório Nacional do partido e não declarou, até o momento, nenhuma despesa ao TSE.

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.