Embates e troca de farpas entre candidatos dominam em debate na TV

O 2º bloco do debate da TV Arapuan foi marcado por embates duros e troca de farpas entre os candidatos ao governo da Paraíba.

Um dos embates mais acalorados aconteceu entre o candidato Nilvan Ferreira (PL) e o governador João Azevêdo (PSB) e teve como tema a corrupção. As operações Calvário e Vitrine foram abordadas pelos dois postulantes ao Palácio da Redenção.

A situação da cultura foi abordada no confronto entre João Azevêdo (PSB) e Antônio Nascimento (PSTU). Enquanto o candidato do PSTU acusou o governador de sucatear o setor, principalmente durante a pandemia, João Azevêdo elencou uma série de investimentos realizados durante os três primeiros anos do seu governo.

Major Fábio e Pedro debateram ações na área da Educação e sinalizaram investimentos na educação infantil, com a construção de creches. Além das creches, os candidatos disseram que vão oferecer mais condições aos municípios para que possam investir cada vez mais na educação atrelada à ciência e a tecnologia e a capacitação dos professores.

Dando sequência ao debate, Pedro e Veneziano discutiram a questão do orçamento do Estado. Pedro disse ser necessário rediscutir o orçamento do Estado, principalmente no que se refere aos recursos que sobram em outras áreas, mas faltam na saúde.

Já Veneziano, por sua vez, criticou o discurso do opositor lembrando que ele pratica uma crítica seletiva por não combater as irregularidades praticadas na gestão municipal em Campina Grande.

Adjany Simplício e Veneziano Vital do Rêgo debateram sobre a importância da adoção de políticas públicas para as mulheres. A candidata do PSOL criticou a falta de espaços para o público feminino enquanto que o emedebista destacou conquistas direcionadas para as mulheres através da atuação da senadora Nilda Gondim, do MDB.

Encerrando a primeira parte do bloco, Adjani e Nilvan debateram a situação provocada pela pandemia da Covid-19. Nilvan ressaltou os prejuízos provocados pelas medidas restritivas impostas, principalmente na educação, e defendeu investimentos para recompor as perdas no setor.

Adjany disse que o governo federal promoveu ataques que prejudicaram os estados e defendeu a implantação de um socorro aos atingidos pelos efeitos nocivos da pandemia.

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.