Governo do Estado realiza mais 800 cirurgias neste final de semana

A caravana do programa Opera Paraíba passou essa semana pelas cidades de Itabaiana, Pombal, Itaporanga, Cajazeiras, Patos, Guarabira, Belém e Princesa Isabel. Além da ação itinerante, o programa segue de forma permanente no Hospital de Clínicas, em Campina Grande, e Hospital Edson Ramalho, em João Pessoa. Em todas essas cidades, a iniciativa do Governo do Estado soma a realização de 830 cirurgias, e ainda a oferta de exames para a saúde da mulher.

“Esse é o resultado da gestão que decidiu fazer a saúde pública no nosso Estado funcionar com eficiência e qualidade. Saber que o programa está presente em todas as regiões, mostra o nosso compromisso com o bem-estar dos paraibanos,” destaca a secretaria de Saúde, Renata Nóbrega.

Do total de intervenções registradas, 555 foram de catarata. Os procedimentos aconteceram nas cidades de Itabaiana e Belém. Para a aposentada Maria José da Silva, graças ao programa ela vai poder voltar a fazer as atividades do dia a dia. “Quando eu me recuperar, vou poder colocar linha na agulha, costurar, ler. Nada disso eu podia fazer mais, por conta da vista embaçada,” conta.

Junto com as cirurgias, o Opera Paraíba também realizou um mutirão de consultas e exames de imagem para diagnóstico precoce do câncer de mama. Foram feitas mamografias e ultrassonografias mamárias e abdominal. A comerciante Ana Fernandes, da cidade de Pombal, conta que a última vez que realizou exame de mamografia foi há 10 anos. “Esse é um exame caro e pelo SUS é muito difícil de conseguir. Depois de 10 anos vou conseguir fazer e cuidar melhor da minha saúde, estou muito feliz com esse programa aqui em Pombal,” explica.

Desde o seu lançamento, o programa já realizou mais de 20 mil cirurgias, e só em 2022 mais de 7 mil pessoas saíram da lista de cirurgias eletivas. A meta é que o Opera Paraíba termine o ano com 20 mil procedimentos, como explica o secretário executivo de saúde, Jhony Bezerra. “Queremos realizar mais 13 mil cirurgias até o final do ano, e para isso estamos facilitando o acesso das pessoas ao programa. Cada vez mais, estamos presentes em todas as regiões do Estado para que nenhum paraibano fique desassistido,” reforçou.

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.