Jovem é morto e queimado em Patos mãe lamenta crueldade. Vídeo

No início da tarde deste domingo, dia 14 de agosto, o corpo do jovem Pedro Cícero Almeida de Araújo, de 23 anos, que estava desaparecido deste a última quinta-feira (11), foi encontrado em estado de decomposição no Sítio Recanto, zona rural do município de São José de Espinharas. A princípio pensou-se que seria na zona rural rural de Santa Gertrudes.

O carro do jovem, modelo Volkswagen Polo, já havia sido encontrado incendiado na sexta-feira (12), na estrada que dá acesso ao Lixão de Patos.

O corpo foi encontrado pela própria mãe do jovem, a senhora Alsângela Almeida, que apesar da situação do cadáver, com sinais de violência e decomposição, o reconheceu por uma tatuagem nas costas e também o anel que ele utilizava.

Em entrevista à jornalista Roberta Bezerra, da TV Sol, dona Alsângela fez um desabafo emocionante, disse que não quer justiça e que sentiu a morte do filho na sexta-feira (12), enquanto rezava um terço: “Perdoo, não quero justiça, a justiça de Deus tarda um pouquinho, mas não falha. Meu filho morreu foi sexta-feira, a mãe sente, eu sei o que tô dizendo. Eu senti a morte do meu filho aqui quando tava rezando um terço, o meu terço caiu da minha mão do nada. Eu segurando o terço firme e forte, meu terço caiu”, disse.

Foram identificados pelo menos seis disparos de arma de fogo. O corpo foi encaminhado para o Numol de Cajazeiras e irá passar pela perícia cadavérica. O laudo deve sair em cerca de 30 dias.

Pedro era casado, tinha duas filhas gêmeas e residia na Travessa Leôncio Wanderley, comunidade conhecida por Beco do Coloral, Centro de Patos. Segundo o delegado, ele tinha envolvimento em homicídios e tentativas na cidade de Patos e foi preso pela última vez no dia 12 de julho deste ano, sendo solto dias depois.

A Polícia Civil não descarta que a morte do jovem tenha ligação com rivalidade entre facções criminosas da cidade.

Veja abaixo, na íntegra, a entrevista gravada pela TV Sol:

 

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.