MPT vai apertar cerco e fiscalizar candidatos que utilizam crianças e adolescentes para fazer propaganda de rua

Partidos e lideranças políticas estão sendo orientados a não contratar diretamente crianças e adolescentes, para atividades de campanha, como panfletagem, adesivagem de veículos, exposição de faixas ou bandeiras em ruas (semáforos), avenidas e outros locais públicos que ofereçam perigo, bem como usar menores de 18 anos para pesquisas em residências.

A recomendação é do Ministério Público do Trabalho na Paraíba (MPT-PB) em parceria com o Ministério Público Estadual (MPPB) e o Ministério Público Federal (MPF). Diretórios Estaduais de 32 partidos políticos na Paraíba receberam a recomendação. Haverá fiscalização.

Segundo a Procuradora do Trabalho, Edlene Lins Felizardo, “nas eleições de 2020, foi expedido a recomendação para os Diretórios Estaduais de todos os partidos políticos na Paraíba para que não utilizassem mão de obra de crianças e adolescentes na campanha, em panfletagem e outras ações. Nas eleições deste ano, continuamos vigilantes, para que os partidos deem conhecimento a todos os candidatos para que se abstenham de explorar mão de obra de crianças e adolescentes na campanha deste ano”, informou.

 

 

Portal Paraíba

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.