Paraíba está entre os melhores índices de saneamento do Nordeste

Um novo estudo do Instituto Trata Brasil revela que o trabalho da Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) levou o Estado a figurar entre os melhores índices de saneamento do Nordeste. Segundo o relatório “Benefícios Econômicos e Sociais da Expansão do Saneamento Brasileiro 2022”, a Paraíba tem o segundo menor déficit de saneamento da região e João Pessoa é a capital nordestina com melhor taxa de abastecimento de água.

O documento utiliza dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS) e mostra os ganhos econômicos e sociais mais efetivos em vários setores, evidenciando que os investimentos feitos em saneamento vão muito além de melhorar apenas a qualidade de vida da população: impacta também na saúde, no aumento da produtividade no trabalho, na valorização imobiliária e na expansão do turismo.

Os dados utilizados pelo estudo são do ano de 2020. Na época, a Paraíba apresentava um déficit de 18,3% no abastecimento de água – ficando atrás apenas do Rio Grande do Norte, com 14,5%. Em coleta e tratamento de esgotos, o Estado apresentou um déficit de 61,8%, também aparecendo em segundo lugar no ranking nordestino, sucedendo a Bahia, com 58,1%. Com o resultado, a Cagepa se posiciona acima da média do Nordeste, que é de 25,1% em água e 69,7% em esgotos.

João Pessoa é capital mais eficiente – Entre as capitais do Nordeste, João Pessoa apresenta o melhor desempenho, com 99,9% de abastecimento de água e 81,6% de esgotamento sanitário. Destaque também para as perdas na distribuição, onde a Cagepa aparece como a segunda  empresa de saneamento do Nordeste que menos desperdiça água, tanto no Estado (38,2%), quanto no recorte das capitais da região (35,8%).

De acordo com o presidente da Cagepa, Marcus Vinicius Neves, o desafio da universalização é cada vez maior, mas a companhia segue trabalhando para cumprir  as metas impostas pelo Marco Legal do Saneamento Básico. “Os números estão aí evidenciando os investimentos do Governo do Estado para garantir a segurança hídrica e concretizar o projeto de universalizar o saneamento na Paraíba. Nesse processo até 2033, estamos priorizando a redução de desperdício de água e energia mediante a automação dos sistemas, elevação do nível de satisfação dos clientes e a melhoria da gestão de bens, serviços e do nosso capital humano”, comentou.

 

 

Portal Paraíba

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.