Paralímpico mais rápido do mundo, Petrúcio Ferreira diz ser ‘pedra bruta’ que virou joia

Petrúcio Ferreira, de 25 anos, paraibano de São José do Brejo do Cruz, é desde 2019 o atleta paralímpico é mais rápido do mundo. Não há, no momento, quem o supere. Na verdade, ele mesmo tem se superado depois que bateu há 13 dias dois recordes mundiais nos 100m e 200m da classe T47 (para amputados de membros superiores) que já lhe pertenciam.

Petrúcio já era detentor das duas melhores marcas do mundo, mas as melhorou recentemente, durante o Desafio de atletismo CPB/CBAt em São Paulo, no Centro de Treinamento Paralímpico, ao alcançar 10s29 nos 100m e 20s83 nos 200m, prova que não corria desde 2018. No evento, que tem como objetivo difundir a prática do atletismo entre corredores olímpicos e paralímpicos, que disputam as provas entre si, sem qualquer distinção, o brasileiro superou até mesmo atletas sem deficiência.

Baixar ainda mais os tempos era algo que estava nos seus planos. Em 2021, ele foi campeão paralímpico, mas não ficou satisfeito com a marca que lhe deu o ouro nos Jogos de Tóquio (10s53). “Foram marcas que eu planejava alcançar mesmo, especialmente nos 100 metros”, admite o atleta em entrevista ao Estadão. “Foquei nessa melhora em 2022 e queria conseguir o resultado que me deixou engasgado em 2021”.

Wscom

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.