Petrópolis tem 876 abrigados em 13 pontos montados pela Prefeitura

No momento, 876 pessoas estão abrigadas nos 13 pontos de apoio montados em escolas da rede municipal de educação da Prefeitura de Petrópolis, além do Colégio Estadual Rui Barbosa, informou hoje (28) a administração local.

A Secretaria de Assistência Social continua oferecendo atendimento para as pessoas que tiveram que sair de suas casas devido ao risco oferecido nas áreas onde moravam. A Prefeitura mantém 13 pontos de apoio. Nos locais, estruturados em escolas da rede pública, os abrigados recebem alimentação, atendimentos de assistência social e de psicólogos, médicos e enfermeiros.

Todas as pessoas que tiveram que recorrer aos pontos de apoio terão direito ao aluguel social no valor de R$ 1 mil, sendo R$ 800 pagos pelo governo estadual e R$ 200 pagos pela Prefeitura de Petrópolis. Essas pessoas estão automaticamente cadastradas no programa do Aluguel Social.

Buscas

O Corpo de Bombeiros do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ) finalizou ontem (27) as buscas no Morro da Oficina, concluindo a lista das 93 vítimas por duas pessoas. Os militares continuam em operação no Chácara Flora, onde buscam por duas pessoas. Ao mesmo tempo, fazem varredura nos rios da cidade, onde três vítimas desapareceram. Cerca de 230 militares atuam na operação.

De acordo com a CBMERJ, foram registrados mais de 100 pontos de buscas, envolvendo acima de 500 bombeiros fluminenses e 140 de outros estados, além de mais de 50 cães farejadores. A corporação vem trabalhando 24 horas por dia, desde a tarde do último dia 15, nas operações de busca e resgate de vítimas das fortes chuvas que atingiram Petrópolis, na região serrana fluminense. Vinte e quatro pessoas foram resgatadas com vida pelos militares.

Suporte

O governo municipal acompanha as buscas e mantém suporte aos bombeiros nos trabalhos no bairro Chácara Flora e no Rio Piabanha. Até o momento, a equipe Técnica e Científica da Polícia Civil registrou 229 óbitos, sendo 136 mulheres, 93 homens e 43 menores.

MSN

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.